terça-feira, 1 de abril de 2014

Vocês nem sabem o que é estupro

Sabe o que é a pessoa fugir da polêmica e a desgracenta ir atrás como alma pena chiclete?
Pois bem, o Kimono aqui não nega a cor que tem.

Repassando as regrinhas de sempre antes de comentar sobre o título forte e o tema de extrema importância:
-É minha opinião (por incrível que pareça) e ela não será mudada com xingamentos, porradas e outras coisas do nível.
-Não concorda, me odeia, acha a cor do blog brega, argumente. Essa é a sua arma. Aponte-a e atire.
-É para chocar, é para enfiar o dedo na ferida, é para gerar debate. Só assim podemos colocar a mão na consciência e entender o que está acontecendo.

Muito bem, recado dado.

Editado: O Ipea nessa primeira semana de Abril disse que tinha errado. Não era 65% da população que achava que uma mulher merecia ser estuprada por conta de vestimenta/comportamento, e sim 26%.
Na minha opinião, arregou bonito (não se engane, nem tudo que vai para os jornais é realmente verdade). Nosso país é mais preconceituoso do que realmente imagina.

Uma educação para muitos
No final do mês passado saiu no noticiário o resultado de um estudo feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) dizendo que 65% dos brasileiros acham que mulher de roupa curta merece ser atacada.

Ok, vamos fazer as coisas por partes.

Caro leitor, eu quero que pense e responda: o que é estupro?

Para mim estupro é tudo aquilo que você é obrigado a fazer mesmo repudiando e indo contra o que você acredita.
É muito amplo? Não, não é. Sabe por quê? Porque o nosso conceito, aquele aprendido ao longo do tempo, é limitado.

E aos que responderam que uma mulher em determinada condição merece ser estuprada, não fazem ideia do que de fato é o ato. Nunca passou por isso e glamoriza como castigo. Hahaha... "Castigo". Devem ser os mesmos que apoiaram a ditadura no Brasil e o nazismo.

O estrago que um estupro faz na mente e no corpo da vítima é muito pesado. Uma parte que passa por acompanhamento psicológico pode até voltar a ter uma vida um pouco mais normal, mas existem aquelas que só encontram paz na morte. Elas se sentem sujas, podres e parte do que seria lixo. Por quê?
Porque a nossa sociedade de inteligência duvidosa acredita que o problema não é o agressor, é a vítima. Estamos eximindo de culpa o real e verdadeiro culpado. O doente, que em sua cabeça deturpada, acredita que deve saciar o seu desejo com quem ele quiser e da forma que bem entender, seja ela conhecida ou desconhecida, querendo ou não.

Brasil e 65% de população visivelmente não-inteligente, ninguém merece ser estuprado. Criança, idoso, mulher ou homem. Simplesmente ninguém, porque esse tipo de violência é muito mais aterrorizante do que um assalto ou um sequestro. Ele deixa marcas não apenas no corpo. Ele dilacera uma mente, destrói um coração e adoece uma alma.

Sei que o que vou escrever é errado, mas é errado PRA CARAMBA, só que vale como uma experiência traumática: 65%, vocês deveriam passar por um estupro para saber o que ele realmente é capaz de fazer com alguém.

Que tal ir atrás da raiz do problema?

Homens, machismo e a deliciosa burrice feminina
Primeira coisa e mais importante: os homens só são iguais biologicamente. Vai generalizar na casa da vovó, tá bom?

Muito bem.
Você sabe o que é machismo?
O machismo prega a superioridade do homem.

Bom, sabendo a definição, vamos falar de educação.

O regime patriarcal ainda se faz muito presente, principalmente em regiões onde a população é menos instruída ou por conta de crenças religiosas. Basicamente temos uma porrada de gente que acha que o homem manda e acabou, independente de ele trazer o sustento da casa ou não. Por causa desse tipo de pensamento ainda hoje as mulheres apanham, são obrigadas a fazer sexo e fingir orgasmo, não têm voz ativa e ganham menos que os homens mesmo em cargos iguais.

O maior problema não é só o homem ser machista, é a mulher!
Boa parte das mães de família criaram e AINDA CRIAM seus filhos seguindo aquela doutrina esperta de que homem não pode chorar, que o filho tem que pegar mesmo um monte de meninas na balada, que tem mulher para casar e mulher para se divertir, que homem tem que ser homem [troca por "macho" que dá na mesma] e por aí vai.
Agora se o rebento for mulher... Pode chorar até não sobrar água no corpo, ai se ficar com mais de um cara na balada, que tem que ser difícil dificílima, que tem que ser toda feminina, delicada e não pode falar palavrão, ai ai ai.

Sério?
Sério, que lindo.

O homem pode ser mais rodado que taxímetro de táxi clandestino no Rio de Janeiro, contudo, se a mulher decidir fazer um ménage à trois não passa de uma isso, uma aquilo.
Traduzindo, o corpo é do homem e ele faz o que bem entender, o corpo é da mulher e a sociedade decide o que ela deve fazer.
OI, SOCIEDADE, VOCÊ NÃO PAGA AS MINHAS CONTAS E NÃO ME DEU O TETO ONDE EU MORO. ONDE FICA MESMO OS SEUS DIREITOS SOBRE O MEU CORPO?

Não acham bonitinho? Eu acho uma gracinha quando gente aleatória se mete em assuntos meus como se tivesse direitos sobre mim.

Mulheres, sabe, a Princesa Isabel aboliu a escravatura há séculos, por que vocês continuam usando essas correntes em volta do pescoço, dos pulsos e dos tornozelos?
Sabe por quê? Porque nós somos burras.

A verdade dói e precisa ser engolida empedrada mesmo.

Somos criadas para sermos BURRAS e é isso que fazemos ao longo de nossa vidinha encantadora.
Não se cria mulher para ser gente.

"Ah, mas você precisa ser obediente. Deve agradar seu marido. Você precisa ser paciente. Você tem que aceitar".

A mulher não passa de uma criatura carente, imatura e imbecil.
Não, este texto não é escrito por um homem ou por uma machista, eu apenas tenho mais amor próprio que a gigante parte da população feminina do meu país.

Para não perder o homem, essas pobres coitadas fazem de tudo: fingem orgasmo, aceitam propostas indecentes, se submetem à humilhação, são agredidas.
Elas infelizmente esquecem que o homem é que deve ter medo de perdê-las.

Que mundo é esse onde só o prazer do outro importa? Que você deve aceitar tudo e se sentir grata?
Isso, queridas amigas, é o que nos diferencia. Eu tenho amor próprio, vocês perseguem uma ilusão mascarada de amor.

Homem não faz Verão. Não é tudo na vida. Mesmo que tenhamos sido lobotomizadas desde crianças para acreditar que devemos sim esperar ansiosas e recatadas por um Príncipe Encantado.

Somos criadas para sermos dependentes, protegidas... E patéticas, é claro.

Já passou do tempo dessas idiotas acordarem para a vida e tomarem as rédeas do que lhes pertence. Buscar independência financeira, emocional e intelectual.

Não é superioridade feminina, é ter um pouco de vergonha na cara e SE COLOCAR como a pessoa mais importante e mais amada em sua própria vida. Romper com o ciclo vicioso de machismo e de submissão. É poder escolher o que fazer com o próprio corpo, ter prazer com a pessoa que ama e verbalizar sua opinião.
Não é virar um hominho de saia, é ter atitude.

Aproveitando que o post é polêmico, eu acredito que nós mulheres deveríamos ter aulas de autodefesa ou aprender pelo menos algumas técnicas militares. Sim, deveríamos saber bater, provocar dor, imobilizar. Afinal, "sexo frágil" é conversa para boi dormir. De frágil, haha, eu não tenho nada.

Bom, espero que tenha sobrevivido ao tiroteio.

"Necessidades"
Para mim quem tem "necessidade" é cachorro que precisa fazer o número um ou o número dois.

Homem que vem com esse papo, na minha cabeça, parece um animal sem coleira.
Não sei porque damos tanta liberdade para eles fazerem e acontecerem, além de diversas "desculpas" explicando seu comportamento bestial.

Vem cá, só porque você está excitado isso te dá o direito de passar a mão na bunda ou roçar a sua genitália em uma mulher no metrô/ônibus?
Poxa, então eu também acho que tenho o direito de quebrar a sua arcada dentária da frente, não?

Nada dá o direito a ninguém de tocar a outra pessoa sem seu consentimento.

Essa parcela de homens pequineses deveria ser castrado e começar a andar na coleira, afinal, não se trata de um ser humano, e sim de um animal, correto?

Mulheres, suas roupas e seu comportamento
"Ainn você é mulher, é claro que você vai defender a classe".
Eu defendo o lado que acho correto, sem distinção, tanto que não acho legal certas roupas que a mulherada usa.

Na minha opinião a mulher tem que se valorizar se não quiser passar a impressão errada, mas nem por isso vou apontar de dedo e condenar alguém que está vestida assim ou assado. Cada um cuida do próprio nariz. Eu não pago conta de ninguém para mandar no que elas querem vestir ou deixar amostra.

E aos que acham que roupa curta "chama" estuprador, sinto informar, além de rir na sua cara, que esse tipo de gente doente vai pegar o que quiser, esteja a mulher com uma roupa comportada ou não.
A roupa influencia? Pode influenciar sim, porém não é o único fator.
Alguns ficam de olho em determinados gestos, no cabelo, no tom da pele, se usa óculos, se a blusa é de tal cor. Não é tão simples quanto "olha, shortinho curto, eba".

Não aprovo o comportamento de boa parte das mulheres hoje em dia, não acho legal sair com uma roupa que mostra o útero, acho que maquiagem demais emplasta a cara, mas nem por isso acho que alguma delas mereça ser estuprada. No máximo precisam de umas dicas de moda e beleza.

O bolo não é uma mentira
Primeiro de Abril e um post desse naipe... Pois é, não é mentira. Infelizmente uma realidade grotesca no nosso país que precisa ser dizimada.

O problema é convencer as pessoas de que elas estão erradas (como pode ser o caso de alguém que discorde totalmente da minha opinião e venha comentar por aqui) e que o mundo mudou.

Aliás, até onde eu sei, corpo é uma propriedade privada e intransferível.
Ele é seu, use-o com sabedoria. Prazer. E consciência.

Muitos mortos? Muitos feridos? Muita gente querendo a minha cabeça enrolada em um quimoninho vermelho?

Nos vemos na próxima polêmica!

Por Kimono Vermelho (01/04/2014)

2 comentários:

  1. Pontos muito bem frisados. Eu só discordo quanto a parte de precisar se estuprado. Só de visualizar algo entrando por onde sai a minha comida já fico com medo (sim, é uma péssima tentativa minha de fazer meu humor auto depreciativo, não ligue). Quanto a mulher que é submissa (e o cara opressor se encaixa também) numa relação, geralmente se esquece de que um relacionamento é uma via de mão dupla, aonde as duas partes tem de agir em conjunto para que haja a felicidade. Sim, há muito mais nessa equação do que uma mera fórmula matemática, sentimentos e toda essa coisa envolvida, mas a base de uma relação é essa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Kyo!

      Por isso mesmo eu disse que era algo ERRADO de ser dito e que funcionou apenas para dar um tapa na cara das pessoas que acham isso legal como forma de "castigo".
      Bom, se serve de consolo, também acho que algo entrando por onde sai o que não foi aproveitado pelo organismo péssima ideia. Quem gostar, que continue.
      Você opinou muito bem: as pessoas esquecem que um relacionamento é uma via de mão dupla. Algumas vezes você cede, outras você ganha, só que a educação recebida ainda hoje é "a mulher deve fazer tudo pelo marido" e ponto. Não é assim. Relacionamento é companheirismo e isso quer dizer "vamos fazer de tudo por nós, nos ajudando e buscando o melhor caminho para seguirmos juntos até quando der".

      Obrigada pelo comentário!

      Excluir

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.