quarta-feira, 26 de março de 2014

Diários de Uma Escritora - 26

O Carnaval está chegando e muita gente ainda está planejando o que fazer no feriado.
Seja pular em bloco de rua, viajar para algum lugar diferente, descansar, trabalhar, estudar ou simplesmente curtir alguns dias de paz, lembre-se de ter responsabilidade. Não torne o feriado em um motivo de desgraça.

Bom, agora que já dei aquele recadinho básico de gente velha e responsável que gosta mesmo é de dormir e dançar com música alta, vamos ao que interessa...

Adivinha quem novamente perdeu o prazo? Estou começando a achar que o bacana é fazer tudo em um mês e programar para o resto. A minha capacidade de cumprir cronogramas nos blogs é vergonhosa.

Mas chega de reclamar, afinal, o que importa é que saiu...

Diários de Uma Escritora 26 - Regras e moldes para um bom escritor

É interessante como as pessoas adoram "cagar regras" sobre qualquer assunto. E fica muito mais evidente quando falamos de regras para escritores.

Faça isso, escreva aquilo, pense dessa forma e use esse estilo.

Não, não é assim que você encontra um escritor talentoso ou "único". Isso é apenas um molde onde se coloca qualquer um (com ou sem talento) e cria o que pode-se chamar de "escritor".

Não é difícil ver quem se guie fielmente por essas porções de dicas, que muitas vezes seguem como muletas para uma pessoa insegura, um alguém que ainda não tem certeza de seus próprios dons ou que cansou de viver na gangorra entre a mediocridade e a falta de reconhecimento.

Pode não parecer, mas o mundo é bastante cruel com quem não bota um escudo na frente. Se você não se fortalece como ser humano, o que espera ver quando expõe suas habilidades? Às vezes não é falta de lutar, é falta de crer, de não desistir nos primeiros "nãos" ou vice-e-versa. A covardia ainda é uma das amigas preferidas de quem gosta de se martirizar por não conseguir "espaço no mercado".

Por outro lado, é importante ler alguns desses textos e comparar ideias.
Fiquei uns bons minutos procurando o link de um post interessante que li há um tempo (e não encontrei) que comentava coisas básicas e que de certa forma me chocaram quando eu soube que muitos dos que se diziam "escritores" não faziam.

- Revise o texto
Sinceramente, se você se chama de "escritor" e não revisa o seu próprio texto, no mínimo, é um idiota de nariz empinado.
"Não sou revisor" - Tem razão, você é uma pessoa perdida que não sabe o que está fazendo.
Reler o seu próprio texto é sempre bom, não apenas ali na hora para procurar erros de gramática ou ortografia, e sim depois de um tempo para ver o que pode melhorar. E, acredite, ó talento puro, sempre há o que modificar.

- Seja leitor assíduo
Sim, se você tem a pachorra de se chamar de "escritor" tem que ser um grande leitor e quando eu digo isso não é de "leia os maiores bestsellers", e sim LEIA.
A leitura desenvolve o aprendizado não só do vocabulário, como na criatividade, às vezes te dando saídas adicionais ou novos meios de pensar.

- NÃO COPIE SEU LIVRO FAVORITO
Vamos lá...
Todo mundo quando começa tem a tendência de juntar as histórias que conhece, jogar no liquidificador, colocar uns temperos, coar e apresentar a sua "obra-prima". É uma boa experiência de amadurecimento, contudo, não deve ser levada de jeito nenhum à frente.
Se com coisa boa os nãos já são doloridos, imagina com uma versão adaptada inspirada.

- Não encha o saco
Acho legítimo querer criar um perfil pessoal em uma rede social, mas pare com a chata mania de ficar mendigando "curtidas", "favoritos", "retweets" ou mandando quinhentos links sobre as suas obras para os amigos, conhecidos, seguidores, blogueiros literários ou editoras.
Não é assim que se faz marketing. Isso se chama desespero e não tem nada pior do que gente desesperada dando aloka internet afora.

- Esteja aberto às críticas, mas saiba o que quer
Temos dois opostos aqui: os que querem tudo do seu jeito e ai de quem disser não, e os que escutam tudo, mudam sua história e no final não ficam satisfeitos com os resultados.
É preciso respirar dos dois ares e manter o equilíbrio. Se você acredita que a sua trama é boa mesmo, receba as críticas e veja o que pode fazer com elas. Nessas horas é necessário ser seu próprio carrasco e pensar duramente. Talvez seja um exercício difícil para egos tão inflados, contudo, faz bem e mantém os pés no chão.

- Um passo de cada vez
Pode soar estranho, porém, tem escritor que nem começou ainda a rabiscar sua história e já entra na pilha de escolher editora.
Não perca seu precioso tempo. Quando for a hora de publicar, corra atrás e se informe. Não tem coisa pior do que sofrer por antecipação.

- Não exagere
"Menos é mais", já dizia Fábio Arruda, consultor de etiqueta.
Tem gente que bota trezentas tramas, quatro bilhões de personagens, seiscentos mundos e mais trocentas coisas sem necessidade.
Estabeleça um caminho, mantenha o foco e escreva. Sem disciplina você não vai a lugar nenhum.

- Escreva sobre o que sabe
Uma coisa que me irrita em boa parte das sinopses "perdidas" que encontro de escritores iniciantes e brasileiros é o tal do "a história não se passa no nosso país". Isso me broxa de tal maneira que eu perco o interesse na hora. Há ressalvas sim, só que muito poucas. Ou "a história se passa no nosso país, mas os personagens são estrangeiros".
TALVEZ seu livro seja realmente bom, no entanto, se você nunca viajou para esses lugares mais vezes do que passou pelo centro da sua cidade, a trama não vai ser a coisa mais legal do mundo.
É bom escrever o que sabe, o que vivenciou, o que de fato você tem controle. Não sabe? Pesquise.
Até as mangakás [escritoras/desenhistas de revistas em quadrinhos japonesas] fazem curtas viagens para cidades histórias buscando referências na cultura, no povo, na arquitetura, etc.

- Seja autêntico
Não tem muito o que explicar.
Fuja dos clichês, crie mais, mergulhe no oceano da sua história.

Como me tornar um grande escritor?
Eu acredito sinceramente que para ser um escritor, antes de tudo você deve ser um curioso, uma pessoa ávida por conhecimento.
Pode ler todos os textos com dicas (é o que menos falta na internet, aliás), introduzir isso ou aquilo, alterar hábitos, fazer o que achar melhor, mas nunca perca a sede pelo aprendizado e a vontade de se superar.

Acho que estou desconstruindo os posts de dicas para escritores com um post de dicas para escritores.

Já passa da meia-noite, é melhor eu dormir...

Por Kimono Vermelho (26/03/2014)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.