terça-feira, 17 de setembro de 2013

CPM: Relacionamentos - Parte 2

Migre sua leitura para a introdução: CPM - Relacionamentos - Parte 1

Começaremos falando de amizade, partindo depois para namoro/casamento.

Apesar do CPM (Conversa Para Mulheres) ser voltado para as mulheres, os homens também podem encontrar alguma empatia aqui.
Caso esse texto "não seja" para você, pode indicar este post para uma mulher que você ache que precisa de um sacolejo ou conselho.

Amigo não é coisa para se guardar, é coisa para se manter
Fazer amigos nem sempre é fácil e mantê-los é ainda mais difícil.
Contudo, antes é preciso explicar quem realmente merece a alcunha de amigo e não de "amigo".

O amigo verdadeiro é aquele que gosta de você, respeita suas opiniões, discorda, briga e que independente dos trocados que descansam na sua conta bancária estará ao seu lado para o que der e vier. Assim como no casamento: "na felicidade e na tristeza, na saúde e na doença".
Não é raro casos de pessoas bem abastadas que são cheias de amigos e que quando perdem tudo, acabam perdendo também esses tais "amigos".
Quantidade nunca quis dizer qualidade, tenha cuidado.

Na primeira parte foi citado que para um relacionamento perdurar ele precisa de dois pilares extremamente importantes: o respeito e a confiança. E o mais importante é que ambos os lados precisam sustentar esses pilares. Se apenas um os mantém, é melhor tomar providências urgentes ou tudo pode acabar caindo na sua cabeça.

É necessário ter um pouco de cautela com pessoas que acabou de conhecer. Por mais que elas pareçam boas e gentis, não comece a contar toda a sua vida ou segredos que muitos dos seus amigos não sabem. As pessoas às vezes se deslumbram com quem é muito carismático e se deixam levar pela onda da primeira boníssima impressão. Não que todos sejam falsos e perversos, no entanto, vale a máxima: "o seguro morreu de velho e o desconfiado ainda está vivo".

A amizade se prova com tempo, com testes, com observação e análise. Quem nunca soube de um caso de amigos de tantos anos que estavam se traindo ou escondendo alguma informação razoavelmente importante?
Alguns podem argumentar que esse tipo de desconfiança (observar, ser mais analítico, testar) é ofensivo. E como conseguir confiar em alguém sem desconfiar um pouco primeiro? É questão de sobrevivência. O mundo não é dos inocentes. Sem falar que em várias vezes, isso não ofende nenhum dos lados e a amizade prossegue. Digamos que essa é a peneira para pegar aqueles "amigos" e separar o joio do trigo.
É claro que não é um método infalível, mas pelo menos você tentou se precaver de alguma forma.

Pessoas que entram em qualquer tipo de relação com extrema inocência normalmente acabam caindo com a cara no chão. A não ser que você sinta prazer em se jogar de corpo e alma sem ter certeza do chão que está pisando. Um pouco de precaução não mata e nem ofende ninguém.

Em qualquer relação é preciso barganhar. Se você é do tipo que aceita tudo e nunca dá opinião, saiba que isso não é muito saudável. Saber se impor faz parte de ter voz ativa no mundo e fazer valer a sua opinião. Você não precisa "vencer" todas as vezes, o importante é ser ouvido, aliás, que relação é essa em que a sua voz não vale nada? Não se iluda, isso não faz bem.
Agora se você é sempre quem decide, ninguém nunca argumenta e a sua decisão é lei, saiba que essa falsa sensação de poder é tão pouco saudável quanto se abster. Para existir algo bom é preciso ter equilíbrio, é preciso aprender que você vive em um mundo com pessoas bem diferentes e que o grande desafio da vida é saber como conviver com todas elas. Não é fácil e vários morrem sem alcançar o sucesso, porém, o caminho pode te tornar alguém melhor e mais compreensivo.



Ah, o amor... O amor é lindo... Até a página dois
A visão do título do tópico parece pessimista? Acho que você precisa de um empurrãozinho para lembrar o que é bem a "página dois".

O amor pode nascer nos solos mais improváveis: à primeira vista, entre amigos, pessoas de diferentes idades, mesmo sexo, religiões opostas...
Esse é um dos sentimentos mais fortes do ser humano, se igualando ao ódio, o seu lado contrário.
O amor é lindo, de fato. Mas e o relacionamento amoroso?

O que mais me chama a atenção nos casais é que a maioria só vê a página um e a última página com o "felizes para sempre".
Não é difícil ver recém-casados tendo suas DR's na frente dos outros, principalmente quando se juraram apaixonados antes do casamento e faziam um monte de planos. Não sei o tipo de veneno que a aliança de compromisso solta que os faz brigar por qualquer detalhezinho besta.
Seja em um namoro ou algo sério como um casamento: amor não sustenta relação.
Polêmico? Não. Óbvio. Algo que todo mundo que namora ou é casado deveria saber.
Amor sozinho, tesão sozinho ou paixão sozinha não sustentam nada e acabam tão rápido quanto começaram.
É preciso ter os pilares principais de respeito e confiança, tem que existir amizade e companheirismo antes de tudo, tem que ter também o amor, a paixão e o tesão. Note a quantidade de pilares que você precisa para manter esse tipo de relação.
Nada sozinho funciona bem, você precisa de um conjunto. Não é à toa que vemos casamentos que duram menos de uma gestação, traições ou desgaste.
As pessoas parece que se esquecem do mais importante e básico: aprender a conviver com as diferenças.

Se você for homem vai se identificar com o que lerá agora. Boa parte das mulheres acham que podem mudar seus companheiros durante ou depois da união. Depois viram aquelas chatas que reclamam de tudo e que tentam forçar um comportamento que nunca existiu no outro.
P.S.: Também há homens, em um número razoavelmente menor, que também entram nessa de mudar as companheiras.
O que não passa de uma das ideias mais imbecis que alguém pode ter.
Se você não consegue aceitar ou respeitar as diferenças da pessoa que você ama, melhor desistir desse relacionamento.
"Ainn, mas eu amo fulano" - Assim como um dia amará qualquer outro fulano.
Continuar se relacionando com alguém mesmo sabendo que aquilo vai desgastar e tornar o que um dia foi lindo em uma grande decepção, é burrice e perda de tempo. Ambos vão se magoar por absolutamente nada. E sejamos francos, o mundo não acaba. Depois de um tempo podem retomar o relacionamento com mais maturidade ou cada um pode encontrar alguém melhor.
A paixão cega e nos leva muitas vezes por caminhos errados, entre eles o de idealizar a pessoa amada. Ninguém é perfeito e isso se aplica também a quem você ama, por isso não cobre o que ele não pode ser.
O diálogo é uma das melhores formas de manter o relacionamento sempre em bom estado. Serve para conhecer melhor o outro e procurar entendê-lo. Vocês são diferentes e não é esperando um milagre acontecer que as coisas vão simplesmente se resolver.
A sinceridade é bastante necessária, a lealdade também para que reforce a confiança e a cumplicidade tem que ser um dos elos principais.
É basicamente fácil manter um namoro ou um casamento, as coisas só desandam quando o casal se esquece dos outros pilares e vive na tríade cega de amor-paixão-tesão.

Até mesmo para quem não quer ter nada sério e não pretende bancar o ou a cafajeste, ao menos seja sincero e avise. Acredite, dói menos do que esperar (sem saber) por algo que nunca irá acontecer. As pessoas só se iludem se quiserem.

Desenterrando os mortos
É.
Eu sei.
Sim.
Esse post demorou para sair.
É a vida.

Enfim, gostaria de saber se a seção Conversa Para Mulheres ainda agrada e se vocês já conseguiram botar algumas na linha ou acordaram-nas daquele sonho infantil e idiota de um mundo colorido de príncipes encantados sadomasoquistas que brilham no sol.

Ah, esse Kimono... Está ficando empoeirado. Melhor botar para lavar...

Por Kimono Vermelho (17/09/2013)

2 comentários:

  1. Saudações


    Não sou alguém com bagagem respeitável na área amorosa (em trocadilhos, falta-me vivência/experiência). Mas uma coisa que vejo muito, nos mais variados ambientes, é a ocorrência do "desgaste" emocional "por nada".

    As aspas tem grande poder...

    Já vi sim amigos de longa data que, ao tentarem se co-relacionar, jogaram pela janela algo que perdurava por anos à fio. Sim, interesses mesquinhos também já me foram visíveis, bem como situações nas quais eu não posso acreditar que ainda se faça existir (mulher berrando atrás de homem no meio da rua, por exemplo, em uma real situação de "eminente perda").

    Talvez as pessoas devessem se conhecer melhor, um pouco que fosse, antes de tentarem dar um passo rumo à vida monogamia. Quem quiser fazer da forma fácil ou por impulso de momento, pode seguir adiante. Contudo, a chance de ocorrer tudo que foi descrito neste post é severamente maior...

    E sim, no que tange à dita amizade isso tudo pode ser tão real quanto.


    Até mais, nobre.

    ResponderExcluir

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.