domingo, 19 de maio de 2013

Diários de Uma Escritora - 17

Ah, o mês de Maio... Mês das mães, mês das noivas e... mês de mudar de casa. Não aconselho as pessoas a serem nômades, é um saco empacotar as coisas e ficar naquela pressão e correria.
Bem, vamos deixar os meus problemas problemáticos de lado e focar no que interessa: o fato de eu ainda não ter dado nenhum furo nas datas dos Diários e...

Diários de Uma Escritora 17 - Perfis "psicológicos" de escritores

Relembrando, no Diários de Uma Escritora 13 eu comentei sobre tipos de escritores, primeiramente separados por criativos e técnicos, agora vamos descer um pouco mais a fundo e afofar nossos bumbuns em alguns âmagos.


O mais importante é: isso aqui não é absoluto, ou seja, podem existir exceções e exceções, então evite o chilique.

Um escritor é alguém que tem uma vida tão ou mais complexa que a de qualquer outro ser humano. A experiência e as situações que ele vivencia é que o tornam uma pessoa assim ou assada. É só observar as biografias e os estilos de escrita.

Aquele que tende a criar histórias tristes, massacrar os personagens e impôr uma atmosfera opressiva ou melancólica muitas vezes é uma pessoa que não tem as rédeas da sua própria vida, aprecia o sofrimento, tem medo de se jogar para a felicidade, é fechada, tem problemas sociais ou esconde um lado obscuro que raramente é revelado aos outros.

Aquele que tende a criar histórias felizes demais, sem dificuldades, onde o Bem sempre vence e ninguém dos bonzinhos morre, muitas vezes é uma pessoa que foge da sua dura realidade para a fantasia, já que ao menos lá ela tem o controle sobre o final. Normalmente sofreram muito na vida ou passaram por traumas tão graves que seu cérebro escolheu um refúgio para se manter são. Outras apenas vivem no mundo da lua para não ter que arcar com as responsabilidades do mundo real.

Aquele que tende a criar histórias muito românticas, bonitinhas, com um casal que o amor sempre vence no final independente dos obstáculos, muitas vezes é um eterno romântico e pode até mesmo ser do tipo pegajoso.
Pode sofrer com várias decepções amorosas, mas que mesmo assim insiste (tendo o dedo podre ou não para escolher seus parceiros) e acredita no amor.

-->


Aquele que tende a criar histórias macabras com violência e terror, muitas vezes tem pesadelos recorrentes ou uma vida bastante complicada, passando por inúmeras situações ruins e não conseguindo superá-las mesmo com o tempo.

Aquele que tende a criar várias histórias com alto conteúdo erótico... Ou gosta  tanto da coisa que faz o seu próprio material ou é obcecado de um modo que sugere que ele possa ter problemas com sua sexualidade.

Aquele que tende a criar histórias mais realistas, porém com finais felizes, apesar dos caminhos tortuosos e perdas que seus personagens possam sofrer, muitas vezes é uma pessoa que tem os pés no chão e que procura ver o lado bom da vida por mais que ela esteja horrível. Tentam ser equilibrados e normalmente não gostam de finais tristes por considerarem a realidade já bastante dura.

Aquela que tende a escrever posts mensais sobre escritores e que parece não ter mais ideias do que falar, visto que os temas que gostaria de abordar com certeza tomariam mais tempo do seu cérebro do que atualmente ela suportaria. Normalmente é uma pessoa que vive cansada, não raciocina direito com sono, gosta de escrever e torna qualquer texto nesse período citado, no que chamamos de post linguiça.

E há, por fim, aquele que escreve qualquer um dos tipos acima e que apenas gosta do estilo ou acha que tem mais aptidão para ele. Fim.

Entre as caixas de papelão e o plástico bolha
Eu tenho adiado muito o assunto "personagens" (e continuarei por algum tempo) que eu gostaria de tratar com mais calma e fazer uma espécie de sequência, falando dos protagonistas, vilões, coadjuvantes e etc.

Desculpem o post linguiça, contudo, o tema abordado foi o que posso chamar de "dizendo verdades por meio de brincadeiras". Fiz algo simples que o leitor ou o próprio escritor podem analisar em seus autores favoritos ou em si mesmos.

Espero que nunca faltem assuntos para os Diários de Uma Escritora ou estarei no limbo...

Nos vemos em junho, cambada! E espero que já com tudo ok na casa nova, INCLUSIVE, a internet.

Por Kimono Vermelho (19/05/2013)

3 comentários:

  1. Saudações

    Sem entrar em muitos contextos e definições extras de minha parte, é possível sim a pessoa que cria histórias "apenas" transcrever no papel um pouco da própria vida ou da visão de mundo que possa vir à ter...

    Prefiro, entretanto, escrever (o pouco que faço) por apenas gostar...

    Até mais!

    ResponderExcluir
  2. Adorei esse post, gostei muito do blog, e te convido a acessar o meu para dizer que tipo de escritor sou eu.

    Bjus.

    José Agenor

    http://blogagenor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, mas a proposta é cada um se analisar, porque só o próprio louco se entende. :D

      Excluir

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.