segunda-feira, 6 de maio de 2013

CPM: Dando um UP na autoestima

É, o Conversa Para Mulheres voltou. A culpa é minha pelo sumiço, já que quem administra essa bagaça sou eu. #pleonasmando
E como de praxe, eu aviso: (Se você for homem leia o post também e o repasse para uma mulher que você acha que precisa desse recado ou use-o para si mesmo)

"Mas eu não gosto de nada em mim"
Então é hora de trabalharmos nisso, estimada leitora.

Todo mundo na face deste planeta pequeno e grotesco tem algo de bom, então não se sinta o cocô do cavalo do bandido sem necessidade.
Eu não me acho bonita, mas tem algo em mim que eu amo de paixão: meus cabelos.
Encontre o que você mais gosta em si mesma, seja fisicamente ou interiormente.
Gosta de como você canta?
"Ah, mas dizem que eu canto mal."
Eu não perguntei o que dizem, eu perguntei se VOCÊ e apenas VOCÊ gosta de como canta, escreve, desenha, ajuda as pessoas ou o que seja.

Faça um favor ao mundo, a mim e a si mesma: ignore tudo o que os outros dizem de ruim sobre você AGORA! Preciso que se livre do que é desnecessário para que continuemos o exercício sem um "ai, mas as pessoas dizem que...", ok?

Pare para pensar o que te agrada aí, tome o tempo que for necessário e depois continue a leitura. Não se apresse, não se cobre, deixe que flua naturalmente, assim você começa a se conhecer melhor e pode até descobrir o quão maravilhosa você realmente é. Largue o pessimismo e a depressão, não pense em nada negativo ou que te coloque para baixo, porque não há valor nenhum em se chicotear para dar prazer aos outros. Seu sofrimento não é meu palco e nunca deve ser o de ninguém, lembre-se disso.

"Já sei o que mais gosto em mim"
E não precisa ser só uma coisa não! Se tiver mais de uma, colecione!
Se o que você gosta é algo fisicamente, pegue um dia que estiver motivada ou que não estiver com o melhor humor e se dê um presente. Cuide dos cabelos, faça cachos, alise, passe creme nas mãos, faça uma esfoliação de pele, admire seus olhos e os maquie, admire sua boca, seu bumbum, o que for! Valorize essa parte que você tanto gosta, porém não faça isso para mostrar aos outros: "ei, olha o que fiz no cabelo!"
A autoestima não depende só do que os outros dizem, ela primeiro depende de você mesma, do seu "auto-amor"!
Se você não tem autoestima, os elogios soam vazios e as críticas tornam o solo infértil.

Se o que você gosta não está no seu físico, como cantar, cozinhar, ler, atuar, dançar, faça isso e se alegre, se divirta fazendo o que te motiva!
"Não cozinho tão bem" - Então procure aprender e melhorar. Conhecimento nunca é demais.

Sim, chegou a hora de ser egoísta, de pensar apenas em si mesma. É o mínimo que você merece, não concorda?

Sabe o que torna uma autoestima forte? Uma pessoa segura.
Se você se gosta, as pessoas podem falar as asneiras que quiserem, que aquele recalque vai bater na sua parede e voltar pro desgosto de quem proferiu.

Não importa se seus bolos não ficaram bons, se você ainda não sabe fazer cachos no cabelo direito ou se você não sabe como ressaltar seus belos olhos, você só precisa sair dessa inércia destruidora.
Além disso, vai ter que aprender a se impôr. Por quê? Bem, veja a seguinte situação:

Você está acima do peso, logo, é gorda. Gosta de dançar, mas tem vergonha.
Começa a dançar no seu quarto, mas seus pais, irmãos ou qualquer outra pessoa passa e começa a rir ou diz algo idiota sobre o que você está fazendo.
O que acontece? Pronto, acabou a vontade de dançar e você ainda por cima está constrangida.

Primeira coisa: se assuma. Você está muito acima do peso recomendado como saudável por MÉDICOS, então pare de complexo e se assuma: "sou gorda".
Porque no momento que você sabe que é, a pessoa pode te chamar diversas vezes e você ainda vai poder rir na cara dela, do tipo "olha que pessoa idiota, ela só sabe falar isso". Desmoralizar o agressor é sempre divertido.

Segunda coisa: gente idiota diz coisas idiotas e você tem mais é que rir da ignorância deles.
Visto que, uma pessoa que fala algo para te atingir, é apenas uma criatura mal resolvida que tem a necessidade de pisar em cima dos outros para se sentir bem, ou seja, tenha pena, pois ela é BEM MAIS complexada e inferiorizada que você.

Terceira coisa: "entra por um lado, sai pelo outro". Tem coisa que não vale à pena se preocupar e nem se estressar, despreze. É como eu disse no parágrafo acima.

Apenas mude se não estiver se sentindo bem consigo mesma ou se a saúde estiver prejudicada. De resto, cada um tem boca e fala o que quer, cabe a nós darmos corda para esse pessoal ou simplesmente ignorar a existência de gente tão coitada.

-->


Para manter sua autoestima você não pode ser passiva. Ao meu ver uma pessoa passiva é que nem o camarão que dormiu e a onda levou. O mar vai te carregar para onde quiser se você deixar.
A autoestima pode parecer tão dura quanto diamante, só que se você se descuidar, ela quebra igual açúcar cristalizado.
Manter a sua não quer dizer pisar nos outros e sim se gostar, se amar como é ou correr atrás para mudar e se sentir melhor.

É difícil romper com a passividade e aguentar as pessoas te magoando. É extremamente mais fácil deixar o fluxo prosseguir. Só que ele logo se torna um fardo pesado, tão pesado que pode esmagar a sua vida. Pare de usar "desculpas" para deixar as coisas como estão, tome as rédeas antes que você entre nesse moedor de carne que é o sistema de sofrimento, e que no fim não servirá para nada.
Não existe nenhuma razão/destino ou como queira chamar para que você seja infeliz, além das suas próprias escolhas. Você não nasceu para ser triste, pense nisso. No entanto, lembre-se que para atingir a liberdade e buscar seus instantes de felicidade, às vezes é preciso lutar muito e romper com as correntes que te prendem por formalidades.
Afinal, você só tem uma vida, então por que prefere sofrer a ser feliz?

Ninguém disse que o caminho seria fácil.
Lute e pare de se lamentar. Choro não traz nada além de olhos inchados.

Não se esqueça: eu apenas ofereço a oportunidade de mudança. Você é quem decide se vai pegar ou largar.
Este foi o terceiro texto da seção Conversa Para Mulheres.

Por Kimono Vermelho (06/05/2013)

Um comentário:

  1. Saudações


    Tudo que descreveste no post tenho de usar, constantemente, em meu trabalho diário na empresa na qual laboro, Red Kim.

    Aparentemente, minha função de treinar equipes acaba passando finamente pela menção ao dito [piscológico] da coisa, e não me é difícil encontrar funcionários que dizem palavras negativistas sobre si mesmos e me pedem algum [conselho animador], para prosseguirem em frente com as suas obrigações.

    Não acho ruim isto, mas me serve como um verdadeiro "tapa na cara" para o meu passado, especialmente em um período muito difícil na minha vida (justamente na transição da adolescência para a idade adulta), na qual um evento familiar me levou à tomar decisões importantes cedo demais. Se não fosse o apoio que tive, provavelmente a minha pessoa teria "ido com a maré do momento".

    Longe de ser o melhor exemplo para isto, hoje busco valorizar em demasiado as pequenas coisas, mesmo aquelas que mais admiro sobre mim mesmo, em meu íntimo pessoal. Não busco um refúgio para me sentir melhor, mas sim canalizar forças e seguir sempre adiante nos propósitos estabelecidos à partir disto.

    Acredite em demasiado nisto, Red Kim, pois trabalhar mais de 14 anos de minha vida na área comercial me auxiliou muito nesta subida de escopo pessoal em minha vida. E mesmo nas proximidades de me tornar mais velho, sinto que ainda tenho muito à aprender e muito para consolidar neste escopo da [autoestima].

    Bom post, Red Kim.


    Até mais!

    ResponderExcluir

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.