segunda-feira, 25 de março de 2013

25 de Março

Uma das ruas mais polêmicas de São Paulo está fazendo aproximadamente 148 anos segundo contas mirabolantes. Reduto do barato, da cópia do chique e dos mais diversos produtos que se pode desejar ou nem saber a existência.

História
Foi em 25 de Março de 1824 a data do juramento da Constituição do Império (a primeira que tivemos por aqui) feito pelo imperador, imperatriz, Câmara e o Bispo do Rio de Janeiro (faz 189 anos).
A rua em si surgiu para substituir à Rua de Baixo em 1865, segundo conta Lineu Francisco de Oliveira em Mascates e Sacoleiros.

Formigueiro humano também conhecido como Rua 25 de Março
Se você é paulista e nunca foi a 25 de Março, nunca desbloqueou o seu prêmio de paulista tour in São Paulo.
Estamos falando de uma rua (e seus arredores) que se transformou em um grande centro comercial, tanto com lojas legais (ou não) quanto camelôs e suas bugigangas.

Nos lembramos bastante dela quando temos datas comemorativas, como Natal, Dia das Crianças, Dia das Mães, Dia dos Pais, etc. A 25 lota, entope, vira lata de sardinha, um terror para claustrofóbicos. Além de ser um dos points de gente que não tem mais o que fazer e prefere roubar do que procurar emprego. Multidão e falta de atenção é o que torna a vida dos batedores de carteira mais alegres, por isso é sempre importante lembrar de algumas regras quando for a 25 de Março, como levar o dinheiro na frente (bolsa ou pochete) e não no bolso de trás, ter atenção, cuidado com aglomerações, leve vários "tipos de dinheiro" (cartão, cheque, moeda, dinheiro), nunca abra a carteira no meio da coisa toda e sempre leve os valores separados (R$ 10 em um canto, R$ 100 em outro, R$ 50 do outro lado), etc.

Já fui na 25 de Março três vezes e em todas passei mal por causa do calor e da muvuca, aí descobri que tenho claustrofobia... Bem, quem não teria naquele lugar, não é mesmo?
Acontece que apesar dos pesares, a 25 esconde locais com produtos muito interessantes, como enfeites para velas em gel, miçangas e firmas de todas as cores que você imaginar e dos materiais que imaginar, tecidos... É uma infinidade de bons achados, além, até mesmo, de lojas com joias (de verdade) e bijuterias.

Eu queria ter feito esse post ano passado, mas só lembrei da data quando já era dia 26 de Março. #memóriaótema

E aí, vai ignorar o prêmio ou já desbloqueou o seu?

Por Kimono Vermelho (25/03/2013)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.