segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

CPM: Desapego - Parte 1

Enfim 2013.

Vamos ter uma conversa séria, mulheres? Porque vocês têm decepcionado a mim e a muitas outras pelo mundo.
(Se você for homem, leia o post mesmo assim e o repasse para uma mulher que você acha que precisa desse recado)

A origem - Uma breve explicação
Ah, as mulheres... Criaturas fascinantes que possuem um incrível poder de encantar qualquer pessoa, porém, boa parte delas é mais burra do que uma porta.
Assumi essa opinião depois de ver os números da vendagem do livro Cinquenta Tons de Cinza (E.L. James), que está sendo o novo guru de comportamento de muitas adolescentes, moças e mulheres.
Graças a ele podemos constatar o quanto ainda somos atrasadas intelectual e comportamentalmente.
Lutamos para ter os mesmos direitos dos homens, como trabalhar fora de casa, votar, ter voz ativa (dar nossa opinião e ela ser ouvida) e independência, contudo, ainda pecamos por maneirismos tolos, passados de geração em geração pela criação errada e não corrigida de nossas antecessoras.

O motivo pelo qual esse livro, que em questões técnicas é um lixo literário e poderia muito bem ser incinerado, é tão amado e idolatrado mundo afora, é justamente por permitir a abertura da imaginação feminina, de experimentar o que a sociedade costuma chamar de sujo ou inapropriado, de atingir o próprio prazer e descobrir que pode tentar ser mais "ousada".
Traduzindo para o bom português: as mulheres (não só as atuais, como as anteriores), em sua ESMAGADORA maioria, são reprimidas sexualmente.

Em pleno século XXI e ainda somos reprimidas como se fôssemos sempre as culpadas por tudo de ruim que possa acontecer no universo.
Seja pela educação, religião, vergonha ou medo, é impossível admitir como normal uma mulher que não tem orgasmo, que só sabe agradar o parceiro e esquece de si, que morreria pelo amado, mas que não é capaz de se amar primeiro.

Somos criadas desde pequenas a sermos sempre as mais educadas, passivas, bonequinhas encantadoras, a não falarmos palavrão, a sempre agradarmos os outros. Quando crescemos, somos proibidas de namorar até determinada idade ou temos que ser as mais recatadas na relação.
Porque se o homem sai com muitas mulheres, ele é O CARA. Se uma mulher sai com muitos homens, ela é uma prostituta.

Temos sempre que ser as princesas esperando nossos príncipes em cavalos brancos ou, como em 50 Tons, esperar nossos milionários, super dotados, com obsessão por controle e lindos, é claro.
Isso para mim cheira a interesse financeiro e utopia. Nada contra você ser interesseira, se isto não te incomoda, ok. Só não se arrependa mais tarde.
Ainda assim, o pior tipo é a mulher que sonha com um relacionamento e um parceiro perfeitos. Se não repararam, não há ninguém nesta terra que seja perfeito e nunca haverá. O conceito de perfeição muda de pessoa para pessoa. Por exemplo, para mim, Christian Grey é um cara que deveria fazer tratamento psiquiátrico com remédio tarja preta. Ele não passa de um maníaco.

Vivemos presas por conceitos, dogmas e regras que nem sempre são da nossa própria vontade. Alguns foram embutidos em nossa mente por familiares, educadores e amigos, por isso, é importante se conhecer como ser humano. Será que o caminho que você está seguindo é realmente o certo ou foi planejado por outra pessoa para você?
Rompa com o comodismo e inércia. Pare de agir feito uma boneca programada! Escolha saber quem você realmente é e do que realmente gosta.

Porém, há um preço bastante caro a se pagar para ser você mesma. Por conta disso, muitas abandonam a chance de mudança.
"Meu Deus, o que vão falar se eu usar batom vermelho? Eu nunca usei, sempre fui mais recatada... Será que vão achar que pareço uma prostituta? Mas eu sempre quis usar batom vermelho..."

Qual mulher nunca se perguntou algo parecido?
"O que vão falar?" - É realmente importante viver regida sob a opinião dos outros? Você está vivendo para quem: para os outros ou para si mesma?

Enfrentar o julgamento das pessoas, ser mal compreendida, difamada... No entanto, ser feliz consigo mesma, sabendo que a verdade está lá dentro e que por mais que falem, jamais poderão te presentear com a alegria que é se amar. O primeiro passo para deixar de ser uma completa idiota é se amar e ser o que você realmente deseja, de coração.
-->

Não há caminho fácil na mudança
Realmente não há.
Ou você muda e descobre o prazer que isso pode proporcionar ou continua com a vida medíocre de coitada estúpida que sempre será usada e enganada.

O que eu quero oferecer com o Conversa Para Mulheres (CPM) é a chance de auto-descoberta, compreensão e, se quiser, mudança para algo melhor.
E é de graça.
Coisa que psicólogos ou aqueles coach's (treinadores/conselheiros) de "melhoro o seu casamento e a sua vida pessoal" cobram os olhos da cara.

Sou burra em dar esses conselhos de graça? Não.
Quanto menos mulheres imbecis na face da Terra, mais satisfeita eu fico.

Minha metodologia não é bonitinha e fofa, portanto, se for incapaz de escutar algumas verdades em forma de alfinetes e porretes, vá embora chorar o leite derramado. Aqui não é lugar para soft girls (literalmente "garotas macias", a.k.a. meninas delicadas).
Minha formação é a surra que levei da vida. Hoje quem bate nela, sou eu. A quantidade de choramingo com "ainn você é mal amada", "ainn você é amargurada", "ainn você é Maria João", que estou prevendo depois de lerem essa frase, dá vontade de rir. Você não precisa ser "Maria João", mal amada ou amargurada para ser uma mulher de verdade. Isso aí se chama recalque.

Há coisas, minhas caras amigas, que podem ser percebidas sozinhas. Você só não enxerga, porque está andando com as mãos no rosto. É preciso observar com cautela as minúcias e interpretá-las da forma menos floreada possível. É para isso que servem os coach's, os psicólogos e este CPM.
"Ah, mas eu tenho as minhas amigas" - Boa parte delas tem o mesmo problema que você. Como resolver algo com conselhos velhos de pensamentos "dentro da caixa"? Amiga, ou você sai da "caixa" e fica criativa ou morre aí com as "dicas infalíveis" falíveis.

Não se ofenda se te chamei de burra ou algum sinônimo do tipo. Eu também já fui uma, porém cresci e aprendi qual é a real.
Venha! Largue esse passado de inutilidade! Vamos juntas encontrar a solução para os seus problemas, menina!!! Uhull! Se joga!
Ok, parei de maluquice.

A "coach" aqui é brava, mas não morde. Você só precisa saber que nem todo grito é maligno. Vire uma tough girl (garota durona) e aprenda a valorizar o que você tem de bom e o que pode ser usado a seu favor.

Bem, este foi só o primeiro post. Existe um leque de assuntos esperando para serem comentados.
Vou lançar mais alguns textos e esperar o feedback de vocês. Se as coisas derem certo, vou liberar um e-mail para mandarem suas dúvidas e eu comentar por aqui, o que acham? Claro que se for da sua vontade, seu nome ficará anônimo.

Venha. Eu lhe dou a oportunidade de mudança. Você só precisa querer e agarrar.

P.S.: Homens, eu sei que os conselhos que dei aqui podem ser interpretados para vocês. Não me torrem a paciência comentando isso. Obrigada. (Kimono, você é um amor, só que não)

Por Kimono Vermelho (07/01/2012)

4 comentários:

  1. Saudações

    Estes "laços culturais" que são passado de geração em geração, ditando que a mulher nada pode e o homem tudo tem à fazer realmente já deveria ter sumido da face deste planeta...

    Mas isto é apenas um sonho, dada a existência de culturas e religiões que, mesmo nos tempos mais modernos, propagam a existência da mulher como um ser [do lar] e apenas para a [procriação e educação das gerações]. Triste, lamentável e algo à mais...

    Não sei qual seria o sentimento de ter uma mulher uma mulher grudada e obcecada em meu encalço. Mas devo crer que seja o mesmo de uma mulher ter um homem sob tais condições... Realmente, não parece ser algo de bom tom a ideia...

    Sinceridade? Eu sei que a conotação que destes quanto ao homem pegador ser chamado de [o cara] foi por entendimento social da questão, mas ao meu, um rapaz que faz isso é de um baixo nível realmente depreciável, tanto quanto uma mulher pegadora (subtende-se "pegador(a)" como a pessoa que usa o sexo oposto como um tipo de "sala de troféus" ou algo para contar vantagem entre os conhecidos). Isso tudo para mim cheira deveras mal...

    Recomendarei este post para algumas colegas de trabalho que tenho. São jovens que, mesmo com os seus 17~23 anos, choram e se descabelam porque o rapaz que gostam não as querem, ou ainda porque não se sentem retribuídas quanto ao sentimento por elas sendo transmitido aos respectivos companheiros.

    Ótimo post, Red Kim.^^


    Até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, por isso cabe a nós da nova geração educarmos as pessoas a nossa volta e os nossos filhos.
      Eu concordo. Para mim, seja homem ou mulher, se tem mais de um parceiro e vive essa vida desregrada, meu respeito pela pessoa diminui consideravelmente, apesar de respeitar a escolha que ela fez, aliás, quem sou eu pra jogar a primeira pedra. Julgo, não nego, só que não faço estardalhaço por isso.
      Obrigada, mas não acredito muito que boa parte delas irá levar o post a sério. A maioria vai se esconder no "Ah, mas ela não me entende" e continuar burra feito uma porta. De qualquer forma, tente. Quem sabe consigo salvar algumas desse fim indigno. XD
      Obrigada pelo comentário! ^^/

      Excluir
  2. Olá!!

    Interessante esse post. Contudo, ainda não li os 50 tons de cinza (talvez não curta o tipo de leitura erótica que todas as mulheres estão curtindo).

    Gostei desse post, mostra bem como uma mulher é. Sorte que isso foi escrita por outra mulher, senão... rsrsrsr

    Ser dura é normal, afinal, o mundo não e a vida não são fáceis.

    Até mais, espero poder acompanhar os outros posts dessa sessão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se quiser tentar alguma leitura erótica não comece por 50 Tons, você vai apenas sacrificar seu cérebro sem necessidade.
      Pois é. Se um homem tivesse escrito o post, a mulherada ia começar a xingar.
      Sim, em compensação muitas mulheres são tão frescas que se você falar 0,1% mais alto, elas já começam a chorar.
      Obrigada pelo comentário! ^^/

      Excluir

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.