quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

CPM: Amor Próprio

2013 começou com tudo!

Se você perdeu a estreia do primeiro Conversa Para Mulheres, migre-se para Desapego - Parte 1.
E agora vamos continuar com os puxões de orelha.
(Se você for homem, leia o post também e o repasse para uma mulher que você acha que precisa desse recado)

Educação, Convivência e Entretenimento
Essas três são as principais formadoras de opinião, caráter e comportamento de qualquer pessoa.
Relembrando o que comentei no primeiro CPM, nós somos educadas como as princesinhas da casa, sempre as mais recadas e polidas.
Convivendo com outras pessoas, como as amigas, descobrimos mais sobre assuntos que não nos sentimos à vontade de conversar com nossos pais, como sexo e namoro.
Somos também influenciadas pelas novelas/séries adolescentes ou adultas, nos espelhando em comportamento "x".

O que nos ensinam? Que temos que ser sempre as mais apaixonadas, às vezes amando unilateralmente, dando tudo de nós pelo namorado e fazendo tudo o que ele pede, inclusive o que nos é tão alertado pelos pais: sexo sem camisinha.

Também nos ensinam que ficar grávida de alguém rico resolve tudo.

"Ah, ele vai assumir a paternidade e ficar comigo. Nós vamos casar!"
"Tirei a barriga da miséria! Vou ganhar rios de dinheiro com a pensão!"

São normalmente essas as duas frases mais típicas deste caso. No primeiro, vemos um conto de fadas que pode muito bem acabar com mãe jovem, solteira e com uma pobre criança que será educada por outra criança.
No segundo, é inegável, o pai será acionado pela Justiça e terá que pagar uma quantia em dinheiro para ajudar na criação do filho, sendo esse valor posteriormente renegociado ou, se a mãe agir de má fé, cancelado.

Queridas irresponsáveis, filho não segura homem nenhum. Se ele quiser te chifrar, te largar em casa, ignorar a sua presença, ele não vai pensar duas vezes. E pensão não é para sempre.
Mesmo quando a "esperta" inventa que o filho é de fulano, existe teste de DNA para comprovar ou não a paternidade.

Eu estou cansada de escutar a mesma história vindo de conhecidos:
"Ah, você não sabia? Vou ser avó. Pois é, meu filho engravidou a namorada. É... Vai ter que assumir e casar, né?"
Dois meses depois...
"Ela perdeu o bebê."

Aham. Sei bem como ela perdeu o bebê.
Entenda, não se pode perder algo que você nunca teve.

Sim, escutei essa história com os meus próprios ouvidos.

Toda novela adolescente tem uma gravidez não-planejada, mas não mostra o que é realmente cuidar de um bebê.
Não dá para largá-lo em um canto como um brinquedo que você cansou de usar.
"Ah, mas na hora nem pensei..."
Juízo e cérebro são duas coisas que DEVEM ser usadas! Não existe desculpa plausível para perdoar a burrice de uma gravidez indesejada!
Aborto ou adoção: de qualquer forma você será perseguida no futuro por seus próprios fantasmas. Ou não poderá ter mais filhos (tendo problemas sérios de saúde) ou talvez conhecerá o que você renegou. A culpa é algo que corrói por dentro. Por mais que acredite que está tudo bem, um dia ela ressurge para te mostrar o estrago.

Esse assunto me deixa muito aborrecida, não só como mulher, mas como futura mãe. Filho, para mim, é algo sagrado. Saiu de dentro de você, foi gerado ali, participou nove meses da sua vida totalmente ligado a você. Botar uma criança no mundo sem o mínimo de responsabilidade, me revolta, me enoja.

O que isso tem a ver com amor próprio? Eu pensei que fosse óbvio.
Gravidez indesejada é gerada por irresponsabilidade e/ou o fato do namorado não "gostar" de camisinha, que vem de uma relação onde a garota faz de tudo para agradá-lo, o que me mostra que ela não possui nenhum amor próprio.
Se amar, é respeitar seu próprio corpo.

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa
Respeitar o próprio corpo não quer dizer:
-Permanecer virgem até o casamento;
-Evitar masturbação;
-Impedir que o namorado a toque (só se for sem seu consentimento).
Eu não prego nenhum dos itens acima e vou explicar a razão.

Casar virgem é uma das maiores burrices que uma mulher pode fazer na vida. Se você optou por esse caminho, eu te respeito, siga a sua vida e pule para o próximo item, ok?
Vamos lá explicar o beabá para as minhas queridas leitoras...
Homens gostam de sexo. Virgens não sabem fazer sexo. Nem todos são pacientes para ensinar o passo a passo e boa parte vai romper seu hímen de forma não muito prazerosa, então... É bom já saber alguns macetes e antes de casar, praticar muito com o seu noivo. Casamento sem sexo pode até durar, porém, somente por outras vias.
Não estou dizendo para começar a agarrar o primeiro que aparecer. Você também pode fazê-lo com o seu namorado, sabe? Acho que essa é uma das funções dele.
(Mulheres também gostam de sexo, eu sei. Não me encham o saco, feministas)

Apenas rindo. Serei a mãezona mais descolada do ano e meus filhos vão falar "que mico" por isso!!!

Ok, hora de falar sobre masturbação.
Não é pecado, o Capeta não vai te pegar e muito menos a Cuca, ok?
Para que você e seu parceiro sintam prazer juntos, é preciso guiá-lo para que o rapaz faça tudo certinho e o sexo a dois seja ótimo. Para que isso aconteça da melhor forma, você precisa se conhecer.
Já foi o tempo de deitar na cama, fechar os olhos e começar a rezar Ave Maria até que o "serviço" esteja acabado. Hoje em dia as coisas são muito melhores.
Saiba o que te faz gemer e ensine ao seu companheiro o caminho. Acredite, por mais incrível que ele seja na cama, o coitado não é adivinho.

A masturbação também é o melhor momento para descobrir como atingir o orgasmo. E saiba que fingi-lo durante o momento íntimo é coisa do passado, é ridículo e você está enganando duas pessoas importantes: a si mesma e o seu namorado.
Deixe a vergonha de lado. Permita descobrir o quão incrível é seu corpo.

O que pode ajudar na descoberta dos pontos erógenos (aqueles que te deixam mais excitada) é o último item: o toque do companheiro.
É imbecil ter que explicar isso, só que algumas garotas/mulheres têm vergonha de serem tocadas de forma mais "libidinosa" por seus parceiros, mesmo a quatro paredes.

Olha, em lugares públicos, eu condeno (seja o casal hétero ou homo). Ver gente se pegando não faz o meu tipo e muito menos o do pessoal da praça de alimentação do shopping.

Deos Matoba... Será que vou ter que explicar melhor?
Alguns homens acham que a mulher é a massa do pão e eles precisam sová-la. Faça com que seu namorado aprenda como te tocar e até brinque, se ele pegar pesado, que você não é massa de pão.
OLHA EU TE DANDO PIADAS LINDAS PARA USAR NA HORA H! Já posso pegar meu prêmio de "humorista" na 25 de Março.

E depois de toda essa conversa, eu ainda serei obrigada a encarar uma avalanche de gente preconceituosa me chamando de safada ou insinuando que sou uma prostituta só porque falei de sexo. Aposta quanto? Vamos! Bota o dinheiro aí na mesa!!! Hehehehe!
Estou falando sério, o machismo é uma doença que precisa ser erradicada.

Finalizando o tópico: respeitar o seu corpo é saber usá-lo com sabedoria, cuidar e ter carinho por ele.
Mulheres que passam pelas mãos de muitos homens tendem a parecer pães amanhecidos e sovados em excesso, portanto, cuidado com o tipo de vida que leva.

Amor próprio - Introdução à autoestima
O amor por si mesmo é o primeiro e mais importante sentimento que uma pessoa deve manter. Se amar é se colocar em primeiro lugar, não em segundo ou em último.
NUNCA ame alguém mais do que você se ama, pois a relação não será saudável e pode ruir de forma catastrófica em sua vida.

E aí esbarramos na autoestima... Ah, essa danada! Ela é jogada para tantos lados que quando a queremos, ela está fora do nosso alcance. Verdade? Será mesmo?
A autoestima vive na palma de nossa mão. Nós é que costumamos olhar para cima, dizendo que estamos procurando-a incessantemente.
É por culpa novamente daquelas três formadoras de opinião do começo do post, que nossa autoestima é minada e vai caindo rumo as profundezas dos nossos sentimentos.
Existem familiares, educadores e amigos que não têm um pingo de sensibilidade e agem dessa maneira consciente ou inconscientemente.

"Ah, para de comer! Você está comendo feito uma porca! Vai virar uma bola e ninguém vai te querer!"
"Ei, como tá o clima aí em cima, Girafa?"
"Ô quatro olhos, olha por onde anda!"
"Nossa, você é tão feia que parece que foi escarrada!"

E a moda está cada vez mais para cadáveres do cemitério do que para mulheres normais.
Nas passarelas temos modelos tão magras que seus ossos ficam pavorosamente saltados. As calças estão com os coses cada vez mais baixos, seguindo as numerações minúsculas para cinturas de bonecas e deformando o corpo de quem é acima do peso.

A "revolução" chegou com as modelos plus-size, que chamamos carinhosamente de "mais cheinhas" ou, se você gosta do bom português, gordas. Algumas, sinceramente, eu não chamaria de "gordas" e sim de gostosas.
Bem, eu não sou homem, só que admiro mais uma mulher com curvas e que "tem onde pegar" do que sacos de ossos longilíneos. Enfim, isso é opinião de gorda, então vou puxar o saco para o meu time. Sim, na cara dura. Não vou bancar a santa ou a "em cima do muro", porque não é do meu feitio.

Aproveitando a deixa vou ensinar um método não muito ortodoxo, contudo, eficaz, para começar a aumentar sua autoestima: se alto valorize. Sim, é com L mesmo.
Se ache gostosa, maravilhosa, poderosa, rainha, deusa e melhor que qualquer uma dessas modelos. Vale chamá-las de saco de osso, comedoras de alface, infelizes que não comem chocolate...

Eu sei, não é "politicamente correto", só que você não está xingando a pessoa e sim o idealismo embutido ali, da sociedade que diz que o bom é ser magra e se você é gorda tem mais é que se ferrar!
Esse é um exercício para que você tire o peso que está em seus ombros e a cobrança desnecessária que te perturba.

Só mude seus hábitos se eles estiverem fazendo mal à sua saúde!
E lembre-se: JAMAIS faça dietas de revistas ou emagreça por sua conta! Sempre consulte um médico.

Ainda há muitos assuntos para serem discutidos, muitas lições para serem ensinadas e muitas lágrimas para transformar em sorrisos!

Não se esqueça: eu apenas ofereço a oportunidade de mudança. Você é quem decide se vai pegar ou largar.

Por Kimono Vermelho (10/01/2013)

2 comentários:

  1. Saudações

    Se existe algo que me incomoda, este algo está no fato de uma pessoa não se respeitar e de agir apenas de acordo como outra pessoa (ou a sociedade em elegilidade) assim defina.

    Do conceito da virgindade, passando pelos chamados dotes famiiares de criação, citando a importante questão da gravidez indesejada, conceituando a temática sobre o próprio corpo (em vias da masturbação no caso) e culminando com os entraves sociais: tudo aqui foi bem trabalhado e redigido, Red Kim.

    Acho que o parágrafo final dá a síntese para o todo. O caminho é este mesmo, pois a pessoa tem que se sentir e s valorizar. O primeiro passo, para tudo, é se gostar.

    Mais um ótimo post, Red Kim.^^


    Até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quis falar de amor próprio no segundo post, porque é a falta dele que causa boa parte dos sérios problemas que as mulheres acumulam.
      Obrigada pelo comentário! ^^/

      Excluir

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.