quinta-feira, 29 de novembro de 2012

O Lado Podre da Kimono Vermelho: Pequenas coisas

Esse título não deveria me fazer rir, porque a primeira impressão que dá é chocante. Não sei desde quando comecei a ser tão polêmica, mas gosto disso.

Olá, queridas crianças perdidas pela Floresta Vermelha. Quem vos fala é a bruxa mais maluca de todo o reino e que quer lhes contar uma história muito engraçada. Por favor, fiquem sentadas, escutem atentamente e não façam barulho ou serão devoradas de imediato. – sorri – O tema de hoje é... "Pequenas coisas".

Trabalho, trabalho, trabalho... E o descanso?
Todo mundo uma vez na vida já se viu trabalhando feito burro de carga e desejando por umas longas férias, correto?
Visto que somos feitos de carne e osso, mais frágeis que muitas outras criaturas, nos cansamos e precisamos parar um pouco para relaxar.
Alguns têm condições de tirar folgas, finais de semana, férias, feriados... Mas há muitos que infelizmente por diversas razões não podem desfrutar da mesma alegria. Para estes que sofrem sem parar, há um oásis perdido os esperando, basta ter humildade e pensar pequeno.

Atualmente vivemos em um mundo que pensar grande é o único jeito. E desde muito tempo as pessoas têm buscado a tal "felicidade", sequer notando que assim como o "amanhã", ela não "existe".

O mundo não é perfeito. As coisas costumam sair do controle e várias vezes é necessário se sacrificar para obter algo maior. Não dá para viver sonhando e também não é preciso sofrer mais do que se merece. Apenas falta um olho mágico para que as pessoas notem que podem seguir sim o mesmo caminho, só que de modo diferente.

Alguns vão a pé, outros de carro, ônibus, skate, bicicleta, patinete, moto... Viu como é fácil seguir o mesmo caminho de modo diferente? Com a vida é a mesma coisa. Não é tão simples quanto a explicação, contudo, cabe a cada um colocar em prática da sua maneira.

Somos ensinados a sermos os mesmo brinquedos, mas de lotes diferentes. Fazemos as mesmas coisas, agimos igual e falamos as mesmas frases. Somos incapazes de achar resoluções novas e ousadas para os mesmos problemas.

Como resolver o problema "achar a felicidade", "ser feliz"?
Por que se busca por algo que está ao seu redor? Não existe uma GRANDE FELICIDADE empacada no caminho em forma de embrulho de presente. Ela é sutil e, para olhos destreinados, passa despercebida.
Ninguém percebe que ao correr incessantemente por seu caminho, em busca de encontrar a felicidade, já perdeu o montante que caberia em um grande embrulho de presente.

A felicidade não dura dias, semanas ou meses, ela dura segundos ou menos minutos do que você imagina. São os pequenos grãos que você recolhe, que se tornam a areia da sua praia.

A tristeza parece durar tempo demais, pois não olhamos para os grãos espalhados pelo nosso caminho. É só por isso que ela se torna pesada e sufocante.

Por conta da minha visão de felicidade, talvez as pessoas ainda não sejam capazes de entender porque eu não preciso de férias para desanuviar a cabeça. Seja em casa ou em um resort, farei as mesmas coisas que faço todos os dias, o que muda é como me conduzo pelo meu caminho.

Pessoas criativas têm uma mente abençoada. Qualquer brecha de segundos já estão voando para algum lugar divertido ou pensando em coisas boas que podem criar e fazer no seu tempo livre. Nenhum segundo é desperdiçado. Para os criativos a tristeza tem um limite de tempo e a felicidade é sempre um grande punhado que eles carregam e usam continuadamente, lembrando que viver já é bom demais e que as minúcias são tão gostosas quanto as grandezas.

Há ensinamentos que poucas cabeças conseguem lidar, pois a maioria está habituada a pensar como os brinquedos dos lotes. É como colocar uma parede e alguém só pensar em escalá-la e não em contorná-la.

Para quem se acostumou a uma estrada tortuosa e esburacada, qualquer grão de felicidade é um mar.

E assim encerramos a nossa história, crianças. Voltem seguras para casa. – se despede – E não se esqueçam de que, se um dia novamente se perderem pela Floresta Vermelha, eu contarei uma nova história e assim vocês encontrarão o caminho de volta. – sorri ternamente.

Por Kimono Vermelho (29/11/2012)

4 comentários:

  1. Concordo com tudo, exceto com a parte em que você diz " Para os criativos a tristeza tem um limite de tempo e a felicidade é sempre um grande punhado que eles carregam e usam continuadamente", conheço muitas mentes criativas que acabam desperdiçando a sua criatividade com a tristeza excessiva, muitas vezes pelas próprias circunstancias de vida (apesar de dizer isso, sei o que você quis dizer com a frase). Como eu já disse no twitter, achei seu modelo (jeito, maneira, características, modus operandi, como quiser chamar) de escrita impressionante. A leitura se faz fluída e gostosa, não cansando os olhos. O conteúdo é exposto de forma que se pode ver sua opinião impressa ali. Achei esse um excelente texto, kim. Tá de parabéns. E como já constatei, eu concordo plenamente que a felicidade está a todo momento presente, porém apenas as mentes preparadas conseguem identificá-las. - Nachozcaoticus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, você conhece um tipo de mente criativa. Os criativos como um todo, estão sempre construindo janelas e portas para se livrar dos problemas/tristezas/etc.
      Neste post em especial a escrita é um pouco diferente (ou talvez diferente só na minha cabeça, não posso me esquecer disso XD).
      Obrigada pelo comentário! ^^/

      Excluir
  2. Saudações

    "O trabalho dignifica o homem" - Esta frase tem um peso enorme, nos faz parecer carregar a Terra inteira em nossas costas, entre tantas outras características. Mas não posso reclamar...

    Aliás, tu não estás a reclamara disto, Red Kim. Na verdade e de forma direta, estás colocando a verdade à frente como ela é. Eu mesmo anseio sempre por minhas férias, por cada folga ou por cada curto período de descanso físico/mental e, ainda assim, agradeço por poder trabalhar e ser útil às pessoas que comigo vivem, além de poder saciar as minhas necessidades básicas de vida.

    Uma ideia bem jogada ao ar por ti que curti muito, Red Kim. E a citada [busca pela felicidade] não foge à tal compreensão...

    Algumas pessoas preferem esconder ou se refugiar em algo para definir o porquê da sua tristeza ou vã curta alegria. Isto é errado, de alguma forma.

    Gosto muito de olhar para o céu (podes interpretar como algo besta, fique tranquila) e tirar quantas fotos puder. Me sinto inspirado quando isto acontece, além de ficar muito contente com tal visão...

    As pessoas devem aprender, o quanto antes, à valorizarem as pequenas coisas que ocorrem em suas vidas, até porque este é o preparo necessário para se sentir pronto à experimentar as grandes coisas que o mundo faz sujeitar à todos. Pura reflexão...

    Ótimo texto, Red Kim. Mas tal "Lado Podre" ficou devendo, hein...^^

    Até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OPA! UM AMIGO QUE PASSA PELO MESMO QUE EU!
      Também vivo admirando o céu (em todos seus estágios: sol, chuva, noite, nublado) e sempre acho que as pessoas vão rir disso. XD É algo que gosto de fazer desde criança e que me traz paz.
      Eu tentei interligar muitas coisas neste post, tanto nos assuntos como na "narração" e fico muito feliz que você tenha gostado e apoiado a ideia.
      Pois é, fique devendo o "Lado Podre" neste... XD
      Obrigada pelo comentário! ^^/

      Excluir

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.