quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Novela do Banner

Que título estranho, não?
Pois é, desde que eu criei este site, estive matutando sobre um jeito de deixá-lo mais com a minha cara. Como podem perceber os recursos do Google Sites são pequenos, perto de um Wordpress e um Blogger, mas é o que eu tinha em mãos na hora do "desespero". *estou rindo disso*
OBS: Só foi a partir de 08/08/2012 que vim para o Blogger.
O jeito mais prático nesse estilo de site é fazer um banner que fica no cabeçalho e dá um ar mais "meu" a esta página branca e vermelha, aparentemente muito sem-graça.


Este post pode ser visualizado em fundo branco, letra preta aqui.


Muito bem, vamos às datas. Eu iniciei esse site em Setembro de 2011 com a matéria Fama na internet e já nessa época quebrava a cabeça pensando em um banner legal. Era uma das primeiras coisas que eu queria fazer, só que o tempo foi passando, as ideias não vinham e eu ficava tentada a pegar alguma foto da internet, editar com um programa bem básico e fazer como banner. O maior empecilho nisso, se você ainda não reparou, é o Google Adsense (essas propagandas que você vê na barra lateral e no meio de algumas matérias). Uma das regras é: seu site não pode conter NENHUM item que seja protegido por direito autoral, ou seja, tudo tem que ser feito exclusivamente por você, totalmente autoral. Então a primeira ideia de banner foi por água a baixo.

Alguns dias depois, resolvi botar o meu pseudo talento de desenhista em prática e pensar em algo legal para desenhar com o tema "Kimono Vermelho". Foi num dia qualquer que fiz um esboço lindo e o deixei guardado. Em outro papel testei algumas estampas legais que remetessem ao Japão e escolhi uma com o Monte Fuji.
Inspirei-me principalmente em uma foto minha, ainda criança, de quimono. Eu estava uma típica japonesinha.
Sendo mais sincera, a roupa estava mais para um yukata¹ do que um quimono propriamente dito.
Enfim, a posição do desenho obviamente não é a mesma da foto, mas o nome do site surgiu graças a ela.

A história da foto
Sem entrar em detalhes muito íntimos da minha vida pessoal, vou contar um pouco mais sobre a foto que deu origem a tudo isso.
Como devem estar carecas de saber, sou neta de japoneses. Não que esse detalhe faça muita diferença, contudo, nunca vi crianças brasileiras descendentes de outros povos se vestirem com quimonos sem motivo algum há dezoito anos atrás. Não existia Anime Friends² nessa época.
O pequeno quimono foi feito especialmente para uma festa de aniversário de uma senhora japonesa, muito querida por meus pais.
A vestimenta era vermelha e na estampa podiam-se ver flores de cerejeiras brancas e uma gueixa de sombrinha.
A faixa que amarrava a roupa a mim, uma espécie de obi extremamente mais simples, era azul-escuro. Uma combinação interessante de cores para uma criança de 4 a 5 anos.
Eu fiquei com cara de boneca japonesa.
Obviamente por "N" motivos não vou postar a foto aqui. Como eu disse ali no começo: "sem entrar em detalhes muito íntimos da minha vida pessoal".

A história do nome do site
Quando eu precisei criar um site, não fazia a mínima ideia de como o chamaria. Eu queria desvinculá-lo da "Asamiya Zaoldyeck" que canta músicas de animes e fala dessas coisas, queria mostrar meu lado mais intelectual e menos "otaku³".
E lá fui eu acabar com mais uma leva de neurônios, até que me lembrei da foto e... TCHARANS!
Eu escolhi deixar o "K" no Kimono para fazer um paralelo com o Japão. O "kimono" fica em japonês e o "vermelho" em português. Eu até cogitei a hipótese de colocar "Akai Kimono" ou algo do tipo, só que achei mais original colocar uma palavra em português.

Voltemos ao banner...
Depois de encontrar essa foto entre álbuns perdidos em casa, pensei em criar o tal desenho com uma mulher vestindo um quimono vermelho. Consegui fazê-la numa pose mais delicada e sensual, com um semblante sério e o olhar perdido na paisagem.
Muitos meses se passaram.
Eu não tinha certeza de quais cores usar para dar vida ao desenho preto e branco, até que agora em Abril ganhei um estojo com 36 cores de lápis de cor da Mitsubishi. Pois é, nem eu sabia que a Mitsubishi fabricava lápis de cor. Não é um estojo novo, mas os lápis estão inteiros. Uma paleta de cores simplesmente incrível!
Para fechar com chave de ouro, eu comprei nanquim (fabricado na República Tcheca).
Com todo esse material em mãos, finalizei o desenho e ele ficou assim:
Esse é o desenho original sem edição.
Como eu quero fazer um banner, pensei em jogar o desenho como está em um programa de edição de imagens. Aí começou a tortura.
Eu tinha o CD de um programa legal de edição de imagens, só que... Cadê o raio do CD? Revirei a casa inteira, quase chamei por São Longuinho e... Encontrei-o próximo a mim, em um lugar onde eu não imaginava ter guardado.
Toda feliz, coloquei o CD no computador e... Ele se recusou a instalar o programa. Por quê? Porque é um programa razoavelmente antigo e funcionava bem no Windows 2000 do meu antigo PC, mas no Vista não roda nem pelo amor de Deus. E lá vou eu mais desesperada ainda.

Procurei pelo programa (com uma versão mais atual) para baixar em algum site, no entanto, o que encontrei foi uma versão trial (de teste). Desisti.
Fui atrás de programas genéricos, achei um legal, mas a principal ferramenta que eu precisava, o programa não tinha. Bora pesquisar um que complementasse o que eu já tinha instalado...
E toda hora eu pensando "pois é, o que eu tinha no CD era completo, mas não roda por nada nesse maldito Vista". Isso quando não me bateu o momento de loucura master "foda-se, vou dar um jeito, um dia, e vou comprar o maldito Photoshop". Esse programa de edição de imagem é o top de linha atualmente, contudo, fica na parte de planos para o futuro.

Descobri um site com todos os links para um programa mais completo e em português, mas... Claro, sempre tem que ter um "mas". Quando fiz o download, o meu navegador avisou que poderia se tratar de um malware4, então resolvi não arriscar a vida do meu PC (e minha saúde mental) e descartei o download, mesmo pensando "tem tudo o que eu quero, é completo e é em português". Se eu conhecesse a pessoa que criou esses vírus de computador, ela já estaria sendo torturada física e mentalmente há anos.
O desespero aumentava a níveis críticos e eu me deparei com a quantidade de estresse e problemas que um reles banner de site tinha me causado.
Respirei fundo.

Encontrei outro site, só que com a versão trial do programa. É óbvio que fiquei frustrada, só que mesmo assim fiz o download.
Passei algumas horas fazendo testes e reparei que esse programa supera o que eu tinha no CD. Dos males, o menor.
Agora, o problema mais sério: a edição da imagem e a finalização do banner.

Quebrei a cabeça e torrei os neurônios para chegar no produto final. Xeretei bastante os programas que instalei, cortei a imagem com uma paciência de Jó e fui incluindo frufrus e etc, para chegar no jeito que eu queria. Fiz dois modelos, mas o segundo me ganhou, então...
Espero que tenham gostado, porque deu MUITO trabalho.
E aí está o banner pronto...
E você: já se meteu a fazer algo que normalmente não faz, passou por dores-de-cabeça e conseguiu?

Por Kimono Vermelho (21/04/2012)


Vocabulário para leigos:
yukata¹:
é uma espécie de quimono, porém feito de tecido mais leve e menos complexo de vestir. É normalmente usado como saída de banho ou durante o verão. Falando vulgarmente, podemos chamá-lo de robe.
Anime Friends²: Evento de anime que acontece em São Paulo-SP.
otaku³: Termo usado no Brasil para designar fãs de desenhos e quadrinhos japoneses. No Japão é um termo pejorativo para falar de uma pessoa viciada em alguma coisa. Por exemplo: Otaku por tampinhas de garrafa/pessoa viciada em colecionar tampinhas de garrafa. Usei o termo entre aspas no texto, porque eu não sou tão otaku assim, gosto de algumas coisas, mas não ligo tanto.
malware4: Espécie de vírus. Programa malicioso que é instalado no computador sem que o usuário saiba. Monitora e rouba dados do computador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.