quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Diários de Uma Escritora - 3

Pelo visto de diário essa seção não tem nada. Seria mais um... "Mensário"?

Diários de Uma Escritora 3 - QUERO LIVROS BONS COM O BRASIL COMO PANO DE FUNDO!!!

Na primeira parte, eu me apresentei e falei um pouco sobre mim. Na segunda parte, comentei sobre minhas experiências com livros. E agora vou retomar essa conversa.

Atualmente sinto uma imensa necessidade de ler livros que tenham como pano de fundo o nosso querido país: Brasil.
Eu li Harry Potter (J.K. Rowling) e lá estava Londres. Eu li Crepúsculo (Stephenie Meyer) e lá estavam cidades dos Estados Unidos. Eu li O Beijo das Sombras (Richelle Mead) e lá estavam mais cidades dos Estados Unidos. Eu li A Batalha do Apocalipse (Eduardo Spohr) e lá estavam várias cidades do mundo e... Rio de Janeiro. Novelas da Globo feelings. É por isso que Eduardo Spohr tem um cantinho especial no meu coração.
Eu li A Rosa Perdida (Sedar Ozkan) e lá estavam cidades do mundo e... cidades do Brasil. Mais um que tem um espaço especial no meu coração.

Cheguei a um nível de cansaço, que estou abandonando a possibilidade, no momento, de ler bons livros que se passem em lugares que não sejam o Brasil. Sim, estou nesse nível de "estresse".
É claro que livros estrangeiros nos fazem entrar em contato com outros locais, costumes e culturas, mas eu gostaria muito de ler sobre o meu povo, os meus costumes, o meu país. Eu, agora, não quero conhecer os Estados Unidos ou a Europa, eu quero o Brasil, eu preciso do Brasil! E isso não está acontecendo.

No Twitter, eu sigo a Editora Rocco e a maioria dos posts dela é sobre a trilogia Jogos Vorazes de Suzanne Collins. Pela sinopse que li rapidamente, é um futuro onde a América do Norte foi destruída ou algo do tipo (o foco não é fazer uma resenha ou passar o resumo do livro, ok?), ou seja, entre aspas a trama se passa em um outro "universo" que surgiu a partir dos Estados Unidos (no máximo o Canadá, não parece falar sobre o México).

Eu chamo de outro "universo", um lugar ou vários, que não têm o mesmo nome de locais conhecidos pela nossa Geografia. Por exemplo: Amestris, um país criado por Hiromu Arakawa no mangá Fullmetal Alchemist. Pois é, aguentem, vou falar muito de mangás por aqui.

É difícil encontrar livros que não sejam didáticos e onde as tramas se passem, por exemplo, aqui em São Paulo, a cidade mais esquecida pelos escritores.
Ok, legal falar do Rio de Janeiro, a maioria das novelas se passam lá, mas e São Paulo? É a maior metrópole do país, o pólo de negócios e indústrias, inundado de culturas e estrangeiros. Só não digo que é a melhor cidade/região do país, porque o Brasil é lotado de cidades lindas e maravilhosas.

Falta um romance de aventura (como os bons best-sellers) que se passe no Brasil e traga os costumes e culturas do nosso povo. Chega de filme falando de morro do Rio de Janeiro, tráfico de drogas e prostituição, essas porcarias também existem em outros países! Sim, acredite! Há cada bequinho e fim de mundo que você nem sonha. Alguns estão na Europa, outros na Ásia. Procurem e parem de reclamar do Brasil.
O tráfico de drogas, a corrupção, a prostituição e tudo o mais que sempre vemos em filmes que falam do nosso país, existem, óbvio, mas também temos coisas bonitas e interessantes além do Carnaval, bundas, samba e futebol.

Quem será o autor a abrir esse mundo ao exterior e dizer "nós somos muito parecidos com vocês, apesar das diferenças"? Nossas crianças também sofrem bullying, nossos jovens também desejam crescer num mundo melhor, nossos problemas também são complicados.
Os livros dos Estados Unidos não são melhores, porque são dos Estados Unidos, boa parte deles é bem escrita, bem pensada e/ou arremata mais leitores, pois oferece comodidade a eles.
-->


Você sabe o que quero dizer com "comodidade"?
Antes de respostas que serão chutes no escuro ou sonoros "nãos", deixe-me explicar. A comodidade que me refiro é uma história com um formato perfeito, personagens quase perfeitos, e trama fraca que apenas flui e não faz o leitor pensar, filosofar sobre aquele caso e analisá-lo mais profundamente. Os comportamentos dos personagens normalmente são previsíveis, com definição um pouco camuflada ou totalmente chamativa do que é o Bem e o Mal. É praticamente um conto de fadas contextualizado para a atualidade (com morais próprias de nossa época).
Um exemplo de história cômoda é Crepúsculo. E antes que os fãs comecem a jogar pedras, eu preciso agradecer à escritora Stephenie Meyer, com muito pesar, é claro, por fazer uma onda gigantesca de jovens começarem a se interessar por leitura.
Hoje em dia temos a geração Crepúsculo, eu sou da geração Harry Potter. Temos muito em comum, meus caros.
E se formos falar de escritores inúteis com obras horríveis, comecemos por Graciliano Ramos, que tem meu ódio declarado desde o 1º ano do Ensino Médio.
Não que Harry Potter seja muito melhor ou muito pior que Crepúsculo, acho que não dá para comparar best-sellers deste naipe. O importante sobre eles é o surgimento de novos leitores, que apesar de amarem as obras principais, uma hora procurarão por outros autores e assim se juntarão aos milhões que "invadem" as Bienais do Livro. Esse mérito, perdão, eu não posso tirar de Meyer e muito menos de Rowling. Se revoltem, pois é a pura verdade.

Eu poderia falar de Tolkien, o tão amado escritor da trilogia O Senhor dos Anéis, ele também tem sua doce parcela de culpa pelo aumento de pessoas interessadas em livros. E agora temos a geração de Jogos Vorazes.
Espero estar mal informada, contudo, só vejo títulos estrangeiros. Alguns viajaram o mar para chegar ao Brasil, enquanto outros, se depararam com vários quilômetros.

Tirando grandes nomes como Machado de Assis, Clarice Lispector e Paulo Coelho, quem mais teve seus livros publicados em outras línguas? Quais escritores de romances conseguiram isso? Jorge Amado, Ariano Suassuna, Guimarães Rosa? E qual livro brasileiro virou modinha no seu país e fora? Qual livro e respectivo escritor atualmente é uma modinha ou bastante conhecido?
Talvez o Google possa responder, porque eu não sei.

Tomara que eu volte no próximo mês com mais algum assunto interessante. Ou não. :D

Espero revê-los no próximo Diários de Uma Escritora!
Obrigada pelo suporte! (Sim, por me suportar)

Por Kimono Vermelho (18/03/2012)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.