quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Dessert Impossible: Pudim de Maria-Mole

A cozinha não é um local onde costumo me aventurar, mas sempre que sou solicitada estou lá!
Esta é a segunda matéria com o tema "Dessert Impossible" (Sobremesa Impossível). A primeira foi sobre um dos doces mais queridos pelos brasileiros: o brigadeiro.
Se bem que esta receita de Impossible, não tem nada. ;D
Resolvi fazer uma matéria, porque alguns seguidores pediram a receita.


Este post pode ser visualizado em fundo branco, letra preta aqui.

O mítico pudim
No caso do brigadeiro, expliquei a origem do doce e, apesar da preguiça de pesquisar, eu fui descobrir qual era a origem do pudim.
Uma coisa precisa ser deixada clara, há uma diferença entre os pudins, sendo que na Grã-Bretanha existem dois tipos. O primeiro é mais uma massa sólida e mais antigo, podendo ser salgado, não sendo servido em fatias e sim em montantes. O segundo tende a possuir uma consistência gelatinosa, é mais novo e é uma sobremesa.
O pudim do tipo leite condensado é conhecido também por flan. Dizem que surgiu no Império romano e que se tornou popular na Idade Média, sendo consumido principalmente no período da Quaresma. Em outro site, dão a Portugal o título de país de origem do pudim de leite, que assim como a maioria dos bons doces portugueses, foi criado por um abade, tendo o nome de Pudim de Priscos.
Se vocês não sabem, os melhores doces portugueses foram criados em conventos, monastérios, instituições religiosas.

Agora vamos ao que interessa...


DESSERT IMPOSSIBLE: PUDIM DE MARIA-MOLE
Lindo pudim, né?

Realmente gostoso...
A receita é simples. Leva mais ingredientes que o brigadeiro, mas no geral é simples.
Como eu estava com a minha mãe, não tirei fotos do passo-a-passo e dos ingredientes, no entanto, não precisa chorar as pitangas, eu vou explicar tudo com bastante tranquilidade, beleza?

Ingredientes:
1 caixa de pó para maria-mole dissolvida em 1 xícara (chá) de água fervente
1 pacote de gelatina incolor hidratada em 1 xícara (chá) de água fria dissolvida em banho-maria
1 lata de leite condensado
1 lata de creme de leite
leite de coco (a mesma medida da lata de leite condensado)

Modo de fazer:
No liquidificador, coloque a maria-mole e bata por cerca de 10 minutos, até espumar. Junte a gelatina incolor, o leite condensado, o creme de leite e o leite de coco, batendo por cerca de 3 minutos. Numa forma para pudim untada com água gelada, despeje a mistura e leve à geladeira por cerca de 6 horas ou até endurecer.
Para desenformar, introduza uma faca entre o pudim e a forma e deixe entrar um pouco de ar. Vire a forma e retire o pudim. Sirva com creme de ameixas ou calda de frutas vermelhas (ou outra de sua preferência).

A receita não é difícil de fazer e o mais legal é que não tem batedeira (tem gente que não se dá com a coitada).
Eu segui à risca, mas o pudim não ficou doce, aliás, fica bem "sem graça", porque essa receita é para você fazer E colocar uma calda por cima. Como eu não gosto de calda nenhuma e comi o pudim puro, ficou horrível.

Fiz uma segunda vez, mudando um pouco a receita e ficou simplesmente divino, um pudim irresistível e do jeito que eu gosto!
Vamos a minha versão...



* ~ * PUDIM DE MARIA-MOLE
DA KIMONO VERMELHO * ~ *

Ingredientes:
1 caixa de pó para maria-mole dissolvida em 1 xícara (chá) de água fervente
1 pacote de gelatina incolor hidrata em 1 xícara (chá) de água fria dissolvida em banho-maria
2 latas de leite condensado
1 lata de creme de leite
2 vidros (aquelas garrafinhas) de leite de coco
Opcional: Coco ralado à gosto

Modus operandi (básico):

Aqui vou explicar as minúcias para aqueles que não são bons na cozinha e querem se aventurar um pouco.
Se você sabe fazer essa parte e não precisa de ajuda, pule para o Modus operandi (intermediário).

Como dissolve o pó para maria-mole?
Você vai abrir o pacote com o pó para maria-mole e despejar o conteúdo de preferência em uma vasilha de vidro (transparante, porque o colorido pode te enganar) onde você possa ver o fundo sem problemas. Agora pegue uma xícara de chá de água, despeje em uma caneca (ou outro utensílio que você usa para esquentar água ou leite) e coloque no fogo. Quando ferver, tire do fogo e coloque sobre o pó para maria-mole. É quase o mesmo esquema de fazer gelatina.
Com um garfo ou um fouet pequeno (espécie de batedor manual) vá dissolvendo a maria-mole. Vai espumar, relaxe. Depois que estiver bem dissolvido e você não ver nenhum resquício do pó, pode usar.
Os utensílios vão ficar com uma gelatininha, então preste atenção quando for lavá-los.

Como dissolve a gelatina incolor?
Você vai fazer um procedimento parecido com o de cima, no entanto, aqui você vai ter que colocar no banho-maria.
Em um recipiente, seja de vidro, uma panela ou uma caneca, você irá colocar o pó da gelatina incolor. Em uma panela (maior e mais baixa que o recipiente onde está a gelatina incolor), coloque água da torneira numa quantidade em que um dedo do recipiente esteja coberto. Coloque a panela no fogo, deixe esquentar um pouco, coloque o recipiente dentro e adicione 1 xícara de chá de água em temperatura ambiente à gelatina incolor. Vá mexendo para dissolver a gelatina. Quando ela estiver dissolvida, você poderá usar.

Modus operandi (intermediário):
O processo é praticamente o mesmo da receita ali de cima.
No liquidificador, coloque a maria-mole e bata por cerca de 10 minutos, até espumar.
Dica: Em alguns minutos ela já começa a espumar, mas eu prefiro deixar 9 a 10 minutos contadinhos no relógio. Enquanto isso posso abrir as latas de leite condensado e creme de leite, além de dissolver a gelatina incolor.
Junte a gelatina incolor, o leite condensado, o creme de leite e o leite de coco (e o coco ralado, se quiser), batendo por cerca de 3 minutos.
Dica: Não seja guloso, raspe bem a lata para o leite condensado sair. Como mesmo assim acaba sobrando, aproveite quando colocar o leite de coco na lata para mexer com a colher e misturar os dois líquidos. Aí despeje no liquidificador. Lembrando que são duas latas de leite condensado e duas garrafinhas de leite de coco.
Numa forma para pudim untada com água gelada, despeje a mistura e leve à geladeira por cerca de 6 horas ou até endurecer.
Dica: "Como assim untar com água gelada? Que bruxaria é essa?" - Calma, vou explicar. Você despeja um tanto de água gelada na forma e pelo menos uma pedra de gelo. É como se você untasse uma forma com margarina e farinha. Passe o gelo nas bordas, virando um pouco a forma para que a água vá junto. Não esqueça de "untar" também as paredes do furo (se for usar uma forma com furo). Se for usar uma forma redonda, prefira por deixar o doce nela.
Dica: Antes de colocar na geladeira, deixe por 5 a 10 minutos no freezer.
Para desenformar, introduza uma faca entre o pudim e a forma e deixe entrar um pouco de ar. Vire a forma e retire o pudim.
OBS: Se acha que usar 2 latas de leite condensado deixará o pudim muito doce, opte por 1 lata e meia. Depende de quanto de doce você gosta.

Nessa segunda receita, ficou uma camadinha bem fina de espuma e o resto ficou num tom claro de pudim de leite. O gosto é maravilhoso, é doce, delicioso e tinha pedaços de coco ralado.

Bem, espero que vocês tenham gostado desse segundo episódio de Dessert Impossible (se bem que essa receita foi muito mais fácil que o brigadeiro).
E mais uma vez a mulher venceu a comida! #MomentoAdamRichman

E aí: está tentado a fazer esse pudim de maria-mole? Se fizer, me conte como ficou depois!

Por Kimono Vermelho (29/05/2012)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.