quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Até onde vai?

Não tive a capacidade de escolher um título melhor, porque faltam palavras para descrever o ódio que estou sentindo.
Admito que posso sim estar sendo injusta, mas uma palavra me tira do sério: estupro.


Toda essa polêmica começou por conta de alguns tweets que apareceram na minha timeline falando sobre o livro 50 Tons de Cinza (E.L. James). Uma obra que até dois a três dias atrás, eu nem sabia que existia.
Eu sigo a Editora Intrínseca (responsável por trazer o livro ao Brasil) e ela postou pequenos trechos que até me interessaram em primeiro momento, só que depois vieram os "tais tweets perdidos pela minha timeline", e a coisa mudou da água para o barreiro.
A pessoa comentava sobre o livro, o que me deixou interessada, pois só compro alguma coisa depois de ler as mais diversas opiniões sobre a obra/produto. O modo como a história foi descrita me deixou pasma e tocou em um assunto sério: estupro. Gostaria de deixar claro que não li o livro, apenas conversei com pessoas, por isso na segunda linha deste post eu grifei as palavras "posso estar sendo injusta".


Este post pode ser visualizado em fundo branco, letra preta aqui.


50 Tons de Cinza, pela minha pesquisa preliminar, trata de fetiche sexual. Sendo mais específica: o sadomasoquismo. Sinceramente? Nada contra, já que a quatro paredes cada um sabe o que quer. Não me acho na posição de julgar ninguém, só que prezo as leis que regem o meu país, logo: estupro e abuso de menores, para mim não é fetiche, é doença. Antes que algum fã ou leitor venha me bater ou xingar, não estou dizendo que o livro contém esses dois, porque não li e a protagonista é maior de 18 anos, logicamente pela lei, ela sabe o que está fazendo. Apenas comentei.
-->


O livro está fazendo sucesso entre as mulheres e isso me fez pensar em algo um pouco assustador: as mulheres que consomem esse conteúdo tem uma vida sexual liberal ou ainda se prendem a valores que não as deixam felizes?
E sabe qual o meu maior medo? Descobrir que isso é verdade.

Existem mulheres que não fazem sexo anal, porque foram criadas ouvindo que esse tipo é sujo, não deve ser feito, é coisa de prostituta. Tem mulher que adoraria levar um tapa na cama, só que tem medo da reação do companheiro. Elas ainda têm medo do preconceito, pois nem todos os homens tem uma mente aberta e livre de conceitos arcaicos e imbecis.

Acho que sexo deve ser conversado entre o casal, saber o que cada um gosta, não gosta, qual o tipo de novidade podem tentar... Não estamos nos séculos passados. As mulheres não são mais submissas, somos donas do nosso próprio nariz, trabalhamos, sustentamos a casa, governamos um país. Nós não somos mais aquele bando de burras em cabresto que obedecem os maridos autoritários. O mundo mudou.
Mas nem todas têm essa força de assumir a responsabilidade sobre a própria vida e felicidade. Ainda criamos mulheres para serem donas de casa, ainda existe essa educação machista, retrógrada, que faz a mulher retornar a função de empregada que dá a luz à crianças e cuida delas.

Se você não tem diálogo com o seu parceiro ou ele não aceita a sua opinião ou suas sugestões são vistas com preconceito, largue-o. Quer continuar se enganando em uma relação falha onde a pessoa que você ama não respeita a sua opinião, problema seu. Continue no cabresto.
Achou que fui radical? Eu só acho que assim como uma pessoa não perde tempo com um assunto que não gosta, você deveria parar de perder o seu tempo de vida com uma pessoa que só te vê como corpo e não como um conjunto.
Não é tão difícil encontrar um parceiro que esteja a fim de te satisfazer e que escute o que você tem a dizer. Estamos no século XXI.

O engraçado é que 50 Tons de Cinza e os comentários falando que o livro tem estupro, me fizeram lembrar de algo um pouco pior: mangás com essa temática.
Mangás, para quem não sabe, são as revistas em quadrinhos japonesas, que muito ao contrário da ignorância de muitos, não servem apenas como leitura para crianças, mas também para adultos, por isso existem categorias. Explicando de forma porca, só para você não ficar perdido aqui, existem categorias para essas revistas, como por exemplo: Shoujo (para meninas, normalmente entre crianças e adolescentes) com meninas mágicas, super poderes, romance água com açúcar. Shounen (para meninos, normalmente entre crianças e adolescentes) com lutas, super poderes, vilões que precisam ser ultrapassados com treino. Ambas categorias atualmente são lidas por ambos os sexos e idades. E temos por fim o Josei (para mulheres mais velhas - jovens e adultas) que trata de relacionamentos mais sérios, podem trazer sexo, etc. Eu dei a explicação mais porca possível, apenas para entenderem. Se quiser informações específicas: Google.

Ok, agora voltemos ao ponto: existem mangás onde o estupro é um fetiche, seja homem estuprando homem, mulher, vice-e-versa...
Eu queria saber a opinião de vítimas de estupro sobre a glamourização do crime. Será que é tão bom assim passar por essa situação? É, deve ser, tanto que a pessoa jamais esquece e precisa de tratamento psicológico pelo resto da vida. Algumas conseguem "superar" e voltam a conviver em sociedade na medida do possível, outras não. Sem falar no número de vítimas que recorre ao suicídio.
"Ah, mas na história é legal" - Estupro não é legal em nenhum momento, em nenhum lugar, em nenhuma condição. Quem sente prazer com isso, precisa procurar tratamento antes que prejudique a vida de alguém.

Eu acho que deveria existir o bom senso entre as editoras, os escritores/criadores e a sociedade de não alimentarem e glamourizarem crimes ou abusos.
Nós escritores somos responsáveis por formar opinião alheia e por isso é no mínimo necessário que não se aja/escreva levianamente. Alguns de nossos leitores podem ser mais influenciáveis do que imaginamos.

Se eu pretendo comprar o primeiro livro (é uma trilogia) de 50 Tons de Cinza e ler? Não sei. Agora de sangue quente, não. E quando eu resolver, SE resolver, será a última das minhas prioridades de leitura. O engraçado é que enxerguei nesse livro uma versão de Crepúsculo (Stephenie Meyer) sem vampiros e com sadomasoquismo, por conta das sinopses e das resenhas que li. Aliás, pretendo fazer uma análise de Crepúsculo, fiquem de olho na seção Resenhas.

E você: sente dor-de-cabeça quando está irritado? Que assunto te tira do sério?

Por Kimono Vermelho (02/08/2012)

P.S.: Este post foi escrito no rage. O site é meu, escrevo no humor que der na telha. #rindohistericamente Tá, parei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.