quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Adolescência - Parte 1

Adolescência, a melhor fase da vida... O ESCAMBAU!
Você já foi, é ou será adolescente, isso é fato desde que você não morra antes.
Ok, vamos falar de coisas menos trágicas... A adolescência é a fase onde você não é mais criança, só que também não é adulto. É a época de buscar sua própria identidade, se juntar a um grupo e saber qual o seu papel no mundo. Sim, e todas as outras ladainhas que você já deve ter lido ou escutado por aí, normalmente escrita por adultos, entre eles estudiosos.


Mas e você, o que acha dessa fase?

Este post pode ser visualizado em fundo branco, letra preta aqui.

As crianças mal esperam por ela, até às vezes a antecipando. Os adultos têm saudade. Os próprios adolescentes ficam divididos entre o amor e o ódio.
Você também tem a sua opinião. Então que tal confrontá-la com a minha?

Ai, que saudade... do bullying?!
Bullying é um termo em inglês sobre as "brincadeiras" sem-graça que algumas pessoas (bullies) fazem com outras (vítimas), sejam zombações ou agressões físicas (isso independe de idade, se bem que na idade adulta podem chamar o bullying de assédio moral). O que você deve saber é que esse nome "bonito" é só uma capa nova para um livro velho. Obviamente a definição que eu dei não é a exata, igualzinha, a que você encontrará em vários sites e livros, mas é a de quem passou por isso.


De quem é a culpa disso: Minha, que não nasci perfeita? Dos agressores que são ignorantes? Da escola que não sabe se manifestar? Dos pais que não souberam educar?
A culpa é de todos, mas não da vítima. Algumas escolas têm o péssimo comportamento de colocar a culpa na vítima.
"Ah, você não acha que leva tudo muito a sério?"
"É só uma brincadeira."
"Será que você não está se fazendo de vítima?"
"Por que você não se enturma mais?"
Uhull! Eu tenho a auto-estima baixa por causa dessas "brincadeiras", sou sensível e a culpa é minha. Oh, obrigada, eu não sabia.

Alguns pais estimulam o mau comportamento de seus filhos, pois também foram estimulados ou são preconceituosos por si só.
"Hahahaha! Olha aquele garoto gordo que coisa horrível! Tira sarro dele na classe, filho!"
"Nossa! Aquele ali parece uma girafa, filho!"
"Filho, para de andar com esse menino aí, vão achar que você é bicha!"
"Ai, filha, por favor, não vá namorar com um menino de cor!"
Uhull! Viva o preconceito!!! Agora peguem suas lâmpadas e acertem as pessoas na Av. Paulista! (Não entendeu a ironia, procure no dicionário)
Sim, eu também sou preconceituosa e todos nós temos preconceito com alguma coisa, seja raça, cor, credo, opção sexual, ideologia... Mas cabe a cada um procurar ser uma pessoa melhor. Só a educação pode ajudar a diminuir a ignorância.
Certo, algumas vítimas se vitimizam em excesso (acontece), eu concordo, porém a maioria não.

É como uma mulher que apanha do marido e não vai a delegacia. Muitas vezes não há denúncia, porque a criança ou adolescente tem medo de apanhar ou sabe que a escola não tomará as decisões cabíveis.

Como ser vítima de bullying:
Seja (no conceito de seus agressores) fora dos padrões ditados pela sociedade, isso inclui ser acima do peso, muito baixo, muito alto, magro em excesso, tenha gostos muito diferentes dos seus colegas, tenha um cabelo estranho, seja quieto demais, seja muito inteligente, entre outros.
Qual a coisa mais legal do mundo? Ser diferente. E qual a coisa que mais chama a atenção no agressor? Ser diferente.

É na adolescência que queremos nos encaixar em grupos, nos tornar amigos de pessoas com os mesmo gostos que o nosso, contudo, também buscamos independência e queremos ser reconhecidos por quem somos, e não só pelo que somos dentro de um grupo. É o momento em que podemos ser egoístas e em algumas vezes com razão.
Então por que ser diferente é tão ruim?
Não é ruim, acredite. É uma das coisas mais incríveis se você estiver disposto a pagar o preço, que quase sempre é bem caro.
Eu não gosto de Física, tenho pavor, mas veja Albert Einstein, um dos maiores gênios do mundo. Ele também sofreu com as "brincadeiras" dos colegas por sua dificuldade em algumas matérias. Quantos de nós também já não passaram por isso?
-->

O que todo mundo deveria saber sobre uma vítima de bullying...
Que apesar de sermos diferentes, temos sentimentos.
Nós também choramos quando um ente querido morre, também ficamos loucos de amores por um ídolo, também odiamos certas comidas. O que nos diferencia é um conjunto de características físicas e mentais, mas os sentimentos são todos iguais.
É preciso ter pena de quem tira sarro de alguém, porque perderam a chance de aprender alguma coisa com aquela pessoa.


Momento "estou me usando como exemplo para que você entenda que é possível dar a volta por cima": Eu confesso que por causa do bullying criei um comportamento muito ruim, que é a arrogância. No entanto, foi o único jeito que encontrei de não me menosprezar mais do que as pessoas já faziam. Hoje ando de cabeça erguida, narizinho bem empinado (exagero) e sou bastante forte. Se aprendi uma coisa importante com o bullying foi ser forte. Hoje ninguém me dobra, eu é que dobro o mundo. Não me orgulho de ser arrogante em alguns momentos, mas é a consequência que veio depois de "apanhar" tanto.
Ninguém imagina o quanto eu me sentia frágil por não corresponder aos padrões de beleza impostos pela sociedade, por ser extremamente tímida e não conseguir me entrosar com os colegas. Minha auto-estima não era baixa, ela passava do Pólo Sul. Eu já me menosprezava naturalmente e então chegavam aquelas pessoas "espertas" e terminavam o resto do trabalho por mim.
Agora, eu queria muito perguntar à coordenadora/orientadora que falou que eu me fazia de vítima, se o certo é eu ser igual a todo mundo.
Caro leitor e estimada leitora, qual é o certo: ser igual a todo mundo ou ser você mesmo?

Como eu disse, ser diferente sai muito caro.
Algumas pessoas se forçam a ser iguais às outras, fazendo o que não gostariam de fazer. Outras permanecem como estão e continuam "apanhando".
Eu optei por pagar o preço. Levantei a minha cabeça e disse a mim mesma "Não abaixo a cabeça pra mais ninguém. Vou pagar o preço por ser diferente. Eu não vou mudar." Muitas pessoas queriam ter essa força, só que não conseguem. Uma dica? Esteja pronto para pagar o preço.

As vítimas de bullying não são o que são por escolha própria, alguns têm problemas.
"Fulano é gordo, porque come demais." - Oh, gênio! E se ele tem um problema de saúde?
"Nossa, como aquela garota é alta! Credo!" - Genética é uma coisa bizarra se você não sabe.
"Ah, fulana não fala com a gente, nem responde nada. Que menina antipática." - Timidez é um problema que você não tem, que bom.

Há alguns tipos de vítimas:
-Aqueles que dão a volta por cima: Acontece de muitos deles se tornarem pessoas importantes, famosas ou muito mais instruídas que seus agressores.
-Aqueles que se suicidam: Infelizmente não é todo mundo que tem força para enfrentar, então escolhe se matar. Não tente esta opção, procure ajuda. Não vale à pena deixar de viver por causa de pessoas ignorantes.
-Aqueles que matam: Esse tipo infelizmente também aparece com frequência. Querem um exemplo? O massacre na escola do Realengo no Rio de Janeiro. Cansados dos agressores, as vítimas se tornam assassinas. Matando os bullies, diretores, professores, orientadores da escola ou pessoas que não tem nada a ver com isso.
-Aqueles que se tornam agressores: Sim, cansados de serem vítimas, eles trocam de lado e tornam-se agressores para que assim o "foco" mude deles para os outros colegas.

Há quem chegue e diga: "Você falou que as vítimas de bullying não são assim por escolha, você não acha que está errada? Alguém só é tímido, porque escolhe ser tímido! Alguém só escuta certo tipo de música, porque escolhe!"
É fácil falar em ser extrovertido quando você não sabe o que é timidez.
A verdade é que não somos ensinados a respeitar as diferenças, somos ensinados a achar estranho.

Antes que alguém venha com blá blá blá sobre o meu comportamento ser "perfeito" (politicamente correto e etc), vou lhe contar como também fui tão parecida com a maioria. Eu aprendi desde pequena que o "certo" é mulher com homem e homem com mulher, ou seja, era "errado" homem com homem e mulher com mulher. Depois de passar por tudo que passei, eu notei uma coisa incrível que a maioria dos preconceituosos nunca notou: o homossexual é igual a nós.
Ok, antes que alguém se descabele, é melhor eu explicar. O que diferencia um homossexual de mim? A opção sexual. Eu sou hétero e ele é homo. Eu gosto de homem e ele gosta do mesmo sexo. Impressionante, não?
Algumas pessoas podem achar estranho ou inaceitável, mas um homossexual, um negro, o que for, também tem sentimentos e merece ser respeitado.
O que as pessoas fazem dentro de um quarto não me interessa. O importante para mim é o caráter e essa também deveria ser a prioridade de todos.
-->

O que todo mundo deveria saber sobre um agressor...
Tenho certeza de que pelo menos uma pessoa se surpreendeu com esse tema. É que eu gosto de mostrar os dois lados da balança, é o meu fraco.

O que motiva uma pessoa a fazer chacota de outra?
Diversão é a primeira palavra que me vem a cabeça. Deve ser mesmo muito engraçado jogar a baixa auto-estima de alguém na lama. Para quem faz é muito engraçado mesmo e há vários motivos.
-"Se eu não tirar sarro, eu serei o zoado": Tem gente que só participa disso para não se tornar alvo e diversas vezes não compactua com o modo de agir dos colegas.
-"Me sinto poderoso": Sim, certas pessoas só conseguem se firmar pisando em alguém.
-"Eu gosto, é legal": Sadismo, para mim, é uma doença. Se você gosta de ver o sofrimento alheio, melhor procurar um psicólogo e se tratar. Porém realmente tem gente que sente prazer em subjugar o outro, vê-lo fraco, acoado.
-"Todo mundo zoa, então também vou zoar": Maria-vai-com-as-outras. Pode até ter alguma opinião própria, mas...

Eu acredito que alguns nasceram mesmo com a índole ruim, outros foram influenciados. A cabeça das crianças e da maioria dos adolescentes é fácil de manipular, basta existir um líder forte.
Um agressor pode ser influenciado pelo meio em que vive, a educação ou falta dela, os amigos, pessoas de caráter duvidoso. Falando em caráter duvidoso, que tal pularmos para as drogas?

Hum... Dá um barato...
Para mim, escutar uma música boa dá um barato. Ler algo que me interesse, dá um barato. Conversar besteiras com os amigos, dá um barato. Comer chocolate... Dá o maior barato de todos!!! Isso é certeza!!!! Se bem que o sono também me deixa meio doida, enfim...
Temos tantas coisas lícitas que podem nos proporcionar prazer que as pessoas procuram justamente as ilícitas. Vai entender...

As drogas (legalizadas e não legalizadas) contém substâncias que afetam o nosso corpo, nada de novo, e todas fazem mal à nossa saúde (tirando os remédios, dependendo da dose).
Se nós sabemos disso, por que tem gente que entra nessa? As respostas são variadas. Alguns querem se encaixar no grupo, agradar o amigo ou namorado, quer ser rebelde, é curioso, quer provar que não se vicia...

Se está na moda usar droga, se é legal e dá um barato, prefiro continuar fora da moda, ser chata e ter "uns baratos" com as minhas drogas chamadas chocolate, computador, televisão, amigos, música.
Não, eu não preciso fazer um discurso enorme falando sobre os malefícios e de como você está errado em querer usar essas coisas, porque todo mundo está cansado de escutar as mesmas palavras. Não recomendo que ninguém use, isso é óbvio. Só que o problema é realmente seu. É você que vai ter crise de abstinência (sentir dores horríveis e surtar), é você que vai trazer a infelicidade para as pessoas que mais te amam, é você que vai ter overdose. Eu? Eu só vou engordar por comer muito chocolate.
Cada um de nós tem na palma da mão o destino. É você que escolhe o seu caminho. Quer se ferrar? Boa sorte. Eu vou pela sombra, tranquila, linda e arrogante (e rindo pra caramba disso).
Quer sentir um barato? Belisca a sua mãe e vê se a mulher não corre furiosa atrás de você.
Ok, não vou ensinar mais táticas suicidas.

"É uma fase, vai passar"
A gente nunca acredita nisso, né? Pelo menos eu não acreditei quando a minha mãe falou.
Ah, que saudade de passar vergonha... Não, não tenho saudade nenhuma dessa época. Só aprendi que fases passam.
Sim, uma hora você vai sentir vergonha de ter gritado por aquele cantor, guardado o ossinho de frango que o seu ator preferido comeu e essas outras loucuras que algumas garotas fazem. É só uma fase. Se não sentir vergonha, pelo menos vai ter boas memórias de como foi a sua juventude. Isso também se resume aos amores. Quem nunca amou na vida? Ahhh, aquele sentimento de carinho, de ficar agarradinha com o namorado, trocar beijos e juras de amor. Eu acho medonho, no entanto, a maioria das mulheres adoram!
E quando terminam, ficam deprimidas, choram, dizem que jamais viverão sem o fulano...
A adolescência é o momento para aprendermos que contos de fadas são contos de fadas e os garotos não são príncipes. Algumas meninas preservam aquela visão romântica e ilusória das histórias que escutamos de nossos pais e avós.
É quando nos tornamos adolescentes que aprendemos na pele que as coisas são diferentes, principalmente quando se tratam de garotos.
E antes que algumas cabecinhas de borboleta apareçam me xingando por ser realista demais, vamos trocar o assunto.

Proibido para menores... De 10 anos?
É mais ou menos entre os 11 a 12 anos (pelo menos na minha época) que começavam as mudanças significativas no corpo. Os seios das meninas crescem e o corpo vai ficando mais maduro. Os garotos têm a mudança de voz e outras cositas mais. E é nessa fase que algo incrível acontece: o clube do Bolinha e o clube da Luluzinha começam a se misturar.
Por causa dos hormônios e do momento conturbado, um turbilhão de emoções passa pelo adolescente e... Não tem como falar de adolescência sem falar das primeiras experiências.

Só que este assunto fica para uma próxima vez...

Por Kimono Vermelho (24/09/2011)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar conheça as nossas regrinhas:
-Não poste nada ofensivo, respeite os outros;
-Não brigue, aqui não é ringue de boxe;
-Não faça merchandising do seu blog com a desculpa de "ah, mas eu comentei sobre o post também".
Siga as regras e você não conhecerá o lado escroto da Kimono.